brMalls rejeita nova proposta da Aliansce Sonae; veja os destaques do Radar

Últimas notícias sobre: Fleury, Cyrela, Eztec, B3, CPFL Energia, StoneCo e mais.

Isabella Velleda
Compartilhe esta publicação:

Acessibilidade


No Forbes Radar de hoje (18), a brMalls disse que seu conselho de administração decidiu, por unanimidade, rejeitar a nova oferta de combinação de negócios enviada pela Aliansce Sonae. Segundo a empresa, o incremento de preço em relação à primeira oferta foi “insuficiente”.

Já o Fleury anunciou a distribuição de dividendos no montante total de R$ 225 milhões, correspondente a R$ 0,7098 por ação. A empresa também informou que registrou queda de 57,6% no lucro líquido do quarto trimestre de 2021, considerando o mesmo período de 2020.

Acompanhe em primeira mão o conteúdo do Forbes Money no Telegram

Veja esses e outros destaques corporativos do dia:

brMalls (BRML3)

A operadora de shoppings brMalls disse que seu conselho de administração decidiu, por unanimidade, rejeitar a nova oferta de combinação de negócios enviada pela rival Aliansce Sonae.

Inscreva-se para receber a nossa newsletter
Ao fornecer seu e-mail, você concorda com a Política de Privacidade da Forbes Brasil.

A nova proposta “continua subavaliando, consideravelmente, o valor econômico justo” da brMalls e de seu portfólio, afirmou a companhia em fato relevante, acrescentando que o incremento de preço proposto pela Aliansce em relação à primeira oferta foi “insuficiente” e “não atende aos melhores interesses dos acionistas da brMalls”.

“Nesse contexto, a proposta apresentada não constitui base de preço para iniciar negociação dos documentos de eventual combinação de negócio”, afirmou a brMalls. A companhia, porém, afirmou que vai avaliar eventuais novas propostas.

A Aliansce aumentou nesta semana a oferta apresentada à brMalls em 10,9%, após ter uma proposta anterior de fusão de iguais rejeitada no início deste ano.

Fleury (FLRY3)

O Fleury teve queda nos resultados do quarto trimestre, uma vez que maiores despesas ofuscaram o leve crescimento das receitas no período.

O grupo de medicina diagnóstica anunciou que seu lucro ajustado de outubro a dezembro somou R$ 66 milhões, queda de 57,6% ante mesma etapa de 2020. A previsão média de analistas consultados pela Refinitiv para o lucro da companhia era de R$ 68,8 milhões.

Embora a receita líquida tenha crescido 9,7% ano a ano, para R$ 1,02 bilhão, as despesas gerais evoluíram mais rápido, 12,6%, para R$ 120,1 milhões.

A empresa também anunciou a distribuição de dividendos no montante total de R$ 225 milhões, correspondente a R$ 0,7098 por ação. Farão jus aos dividendos os acionistas da companhia no fechamento do pregão de 22 de março, e o pagamento ocorrerá no dia 4 de abril.

Cyrela (CYRE3)

A Cyrela divulgou lucro líquido de R$ 218 milhões para o quarto trimestre, queda de 16,7% sobre o resultado de um ano antes, em meio à desaceleração sentida pelo mercado imobiliário do país por conta da alta dos juros e inflação.

Analistas, em média, esperavam lucro líquido de R$ 226,6 milhões.

Eztec (EZTC3)

A Eztec divulgou lucro líquido de R$ 72,5 milhões para o quarto trimestre, queda de 48,1% sobre o desempenho de um ano antes. Analistas esperavam resultado de R$ 103,6 milhões.

B3 (B3SA3)

A B3 teve leve alta no lucro do quarto trimestre, mesmo com queda nas receitas nos segmentos de produtos listados e em financiamentos.

A operadora de infraestrutura de mercado anunciou que seu lucro de outubro a dezembro somou R$ 1,229 bilhão, aumento de 6% sobre um ano antes. O resultado veio quase em linha com a previsão média de analistas consultados pela Refinitiv, de R$ 1,27 bilhão.

CPFL Energia (CPFE3)

A CPFL Energia obteve um lucro líquido de R$ 1,33 bilhão no último trimestre de 2021, alta de 34,5% no comparativo anual, impulsionada principalmente pelo desempenho do negócio de distribuição, que viu um aumento das vendas em meio à retomada das atividades comercial e industrial.

Com isso, a elétrica encerrou o ano passado com um resultado positivo de R$ 4,85 bilhões, com 30,9% acima do registrado um ano antes.

StoneCo (STOC31)

A StoneCo sofreu uma queda de mais de 90% no lucro líquido ajustado do quarto trimestre sobre um ano antes, para R$ 33,7 milhões.

A empresa, porém, informou fortes projeções de desempenho para o primeiro trimestre deste ano, incluindo expectativa de receita mais do que duas vezes maior que a obtida no mesmo período do ano passado.

A companhia afirmou que o resultado do quarto trimestre deveu-se ao ápice do descasamento entre o crescimento nos custos de captação de recursos, por conta da alta da Selic, e mudança em política de precificação de pré-pagamentos.

Lojas Renner (LREN3)

A Lojas Renner registrou lucro líquido de R$ 415,8 milhões nos três últimos meses do ano passado, crescimento de 17,5% ante mesmo período de 2020. Analistas, em média, esperavam lucro de R$ 435,3 milhões.

A empresa também anunciou JCP no montante bruto de R$ 141,4 milhões, correspondentes a R$ 0,1439 por ação. Terão direito a receber os proventos os acionistas da companhia detentores de ações em 22 de março.

Energisa (ENGI11)

A Energisa informou que teve lucro consolidado de R$ 582,6 milhões no quarto trimestre, ante R$ 192 milhões registrados em igual período de 2020, e previu recorde de investimentos de 2022, de R$ 5,59 bilhões.

O lucro líquido ajustado para efeitos não recorrentes, no entanto, foi de R$ 212,7 milhões no quarto trimestre, queda de 31,7% no comparativo anual.

Warren Equals

O Warren Equals, fundo de ações da plataforma de investimentos Warren, apresentou, nos últimos 12 meses (com fechamento em final de fevereiro), retorno de 11,67%, enquanto o Ibovespa apresentou alta de 2,54% no mesmo período.

Criado em março de 2020, o acúmulo do fundo Warren Equals desde o seu lançamento é de 36,92% frente a 31,45% do Ibovespa.

O produto tem por filosofia o uso da estratégia de fatores associadas a empresas que são reconhecidas por políticas de promoção de igualdade e governança, seguindo critérios como possuir políticas internas contra assédio, mulheres ocupando cargos de liderança e diretrizes de promoção de equidade de gênero.

Copasa (CSMG3)

A Copasa informou que foi aprovada a declaração de JCP (juros sobre o capital próprio) referente ao primeiro trimestre de 2022 no montante total de R$ 33,8 milhões, a R$0,0893 por ação.

A data de corte é 22 de março, e o pagamento ocorrerá em até 60 dias.

Embraer (EMBR3)

A Eve, uma empresa da Embraer, e a Acciona, empresa de fornecimento de soluções regenerativas para uma economia de baixo carbono, anunciaram hoje uma parceria estratégica para acelerar o desenvolvimento de um ecossistema de Mobilidade Aérea Urbana global e sustentável.

Sob os termos da parceria, após a conclusão da combinação de negócios da Eve com a Zanite Acquisition Corp., a Acciona investirá US$ 30 milhões e se juntará ao grupo de investidores estratégicos que atualmente estão apoiando o desenvolvimento da Eve e de seu plano de negócios.

Como parte do acordo, José Manual Entrecanales, presidente e CEO da Acciona, se tornará um dos sete membros do Conselho de Administração após a listagem da Eve na Bolsa de Valores de Nova York (NYSE), que está prevista para acontecer no segundo trimestre de 2022.

Grupo Soma (SOMA3)

O Grupo Soma divulgou lucro ajustado de R$ 111,9 milhões no quarto trimestre de 2021, alta de 180,5% na comparação anual.

Enauta (ENAT3)

A Enauta registrou lucro de R$ 690,7 milhões no quarto trimestre de 2021, crescimento de 1.707,9% na base anual.

Vivara (VIVA3)

A Vivara registrou lucro líquido de R$ 127,1 milhões no quarto trimestre, alta de 36,4% na comparação anual. (Com Reuters)

Compartilhe esta publicação: