Dreyfus registra aumento de 82,5% no lucro de 2021

Este mês, a empresa disse que suspendeu as operações na Rússia depois de interromper as atividades na Ucrânia.

Reuters
Compartilhe esta publicação:

Acessibilidade


A Louis Dreyfus Company (LDC) informou hoje (24) um salto no lucro anual, com impulso da forte demanda por commodities agrícolas à medida que a atividade econômica se recuperava da pandemia de Covid-19.

O lucro líquido do grupo atingiu US$ 697 milhões em 2021, um aumento de 82,5% em relação ao ano anterior, enquanto o lucro antes de juros, impostos, depreciação e amortização (Ebitda) aumentou 22,6%, para US$ 1,623 bilhão.

Acompanhe em primeira mão o conteúdo do Forbes Money no Telegram

A Dreyfus é um dos maiores comerciantes e processadores do mundo de commodities agrícolas, como trigo, açúcar e algodão. As rivais ADM e Bunge também apresentaram aumentos acentuados nos lucros.

Entre seus produtos, sua unidade de grãos e oleaginosas alcançou “excelentes resultados operacionais”, ajudada pela demanda chinesa, margens de processamento atraentes e preços mais altos do etanol, disse a companhia em relatório anual.

Inscreva-se para receber a nossa newsletter
Ao fornecer seu e-mail, você concorda com a Política de Privacidade da Forbes Brasil.

Ele acrescentou que o conflito entre a Rússia e a Ucrânia, ambos grandes produtores de grãos, e as restrições comerciais relacionadas podem ter um “impacto material” nas operações do grupo localmente.

Este mês, a empresa disse que suspendeu as operações na Rússia depois de interromper as atividades na Ucrânia.

Melhores resultados e a venda de uma participação no ano passado para a ADQ, de Abu Dhabi, aliviaram a pressão financeira sobre a LDC e principal acionista Margarita Louis-Dreyfus.

A dívida ajustada líquida do grupo caiu para US$ 1,5 bilhão até o final de 2021, de US$ 2,4 bilhões um ano antes, enquanto o patrimônio do grupo atingiu seu nível mais alto, a US$ 5,4 bilhões, disse a LDC.

Compartilhe esta publicação: