Pedidos de auxílio-desemprego nos EUA caem pela 2ª semana seguida

Economistas consultados pela Reuters projetavam 225 mil solicitações na última semana, que foi a segunda semana seguida de queda nos pedidos.

Da Reuters
Compartilhe esta publicação:
Mike Blake/Reuters
Mike Blake/Reuters

Restaurante na cidade de Oceanside, Califórnia, divulga oportunidades de emprego

Acessibilidade


O número de norte-americanos que entraram com novos pedidos de auxíliodesemprego caiu mais do que o esperado na semana passada, enquanto as dispensas recuaram com força em fevereiro, indicando que a recuperação do mercado de trabalho está ganhando ímpeto.

Os pedidos iniciais de auxíliodesemprego caíram em 18 mil, para 215 mil em dado ajustado sazonalmente para a semana encerrada em 26 de fevereiro, disse o Departamento do Trabalho hoje (03).

Economistas consultados pela Reuters projetavam 225 mil solicitações na última semana, que foi a segunda semana seguida de queda nos pedidos.

Com um quase recorde de 10,9 milhões de vagas em aberto no final de dezembro, as empresas estão retendo seus trabalhadores.

Os pedidos podem cair de novo abaixo de 200 mil, o que foi visto pela última vez no início de dezembro. Eles recuaram de máxima recorde de 6,149 milhões no início de abril de 2020. Condições apertadas do mercado de trabalho estão alimentando o crescimento salarial, o que aumenta as pressões inflacionárias.

Inscreva-se para receber a nossa newsletter
Ao fornecer seu e-mail, você concorda com a Política de Privacidade da Forbes Brasil.

Relatório separado nesta quinta-feira da empresa Challenger, Gray & Christmas mostrou que os empregadores baseados nos Estados Unidos anunciaram 15.245 cortes de vagas em fevereiro, queda de 20% ante janeiro. As dispensas caíram 56% na comparação com o mesmo período do ano anterior.

As empresas também anunciaram planos para contratar 215.127 empregados, maior número para fevereiro desde que a Challenger começou a acompanhar os dados mensais de contratação, em 2002. Isso contra 77.630 empregos anunciados em janeiro.

Compartilhe esta publicação: