Premiê britânico pode enfrentar investigação parlamentar conforme críticas aumentam

Johnson tem lutado há meses por sua sobrevivência política.

Reuters
Compartilhe esta publicação:

Reuters

Acessibilidade


O britânico Boris Johnson teve sua autoridade colocada em xeque hoje (21) quando um parlamentar influente pediu que ele renunciasse e os partidos da oposição pareciam dispostos a forçar uma investigação sobre se o primeiro-ministro enganou o Parlamento.

Johnson tem lutado há meses por sua sobrevivência política após ter dito ao Parlamento que seu gabinete em Downing Street seguiu todas as regras do lockdown durante a pandemia de Covid-19 e um relatório interno ter depois descoberto que o local foi palco de festas regadas a álcool na época.

Acompanhe em primeira mão o conteúdo do Forbes Money no Telegram

Desde então, a polícia multou Johnson. Ele nega ter deliberadamente enganado o Parlamento, o que é motivo para renúncia, e diz que cometeu um erro, sem perceber que estava infringindo as regras. O premiê se desculpou por sua conduta.

Em um debate antes da votação de parlamentares sobre se Johnson deve enfrentar uma investigação por desacato ao Parlamento pelo Comitê de Privilégios, um leal parlamentar do Partido Conservador disse que o primeiro-ministro deveria agora renunciar.

Inscreva-se para receber a nossa newsletter
Ao fornecer seu e-mail, você concorda com a Política de Privacidade da Forbes Brasil.

Steve Baker acusou Johnson de quebrar a “letra e o espírito” da lei, acrescentando: “O primeiro-ministro agora deveria ter ido há muito tempo… (Ele) deveria saber que o show acabou”.

Compartilhe esta publicação: