Lucro da norueguesa Yara supera previsões em meio a preocupações com oferta de alimentos

As receitas da empresa quase dobraram no trimestre, para US$ 5,9 bilhões, acompanhando um aumento dramático nos preços dos fertilizantes.

Reuters
Compartilhe esta publicação:

Acessibilidade


A fabricante norueguesa de fertilizantes Yara divulgou lucros acima do esperado hoje (27), com o aumento dos preços mais do que compensando o maior custo das matérias-primas, ao mesmo tempo em que reiterou sua preocupação de que a guerra na Ucrânia afete a oferta global de alimentos.

O Ebitda (lucro antes de juros, impostos, depreciação e amortização) de janeiro a março, excluindo itens não recorrentes, subiu para US$ 1,35 bilhão, ante US$ 585 milhões um ano atrás, enquanto analistas em uma pesquisa fornecida pela empresa esperavam lucros de US$ 1,14 bilhão.

Acompanhe em primeira mão o conteúdo do Forbes Money no Telegram

Mas a Yara prevê um aumento dos custos com gás natural, que é usado no processo de fabricação de fertilizantes contendo nitrogênio. A empresa disse que espera pagar US$ 1,15 bilhão a mais pelo insumo no segundo trimestre do que no ano anterior, e US$ 750 milhões a mais no terceiro trimestre.

As receitas da Yara quase dobraram no trimestre, para US$ 5,9 bilhões, acompanhando um aumento dramático nos preços dos fertilizantes em meio a temores de escassez global de alimentos.

Inscreva-se para receber a nossa newsletter
Ao fornecer seu e-mail, você concorda com a Política de Privacidade da Forbes Brasil.

A empresa alertou ainda que a produção de alimentos da Europa pode ser limitada, já que a Rússia é responsável por um quarto do suprimento europeu de nutrientes de nitrogênio, potássio e fosfato para as culturas.

“Embora os negócios da Yara sejam flexíveis e resilientes, o impacto da guerra na segurança alimentar global será dramático”, disse o CEO Svein Tore Holsether em comunicado.

À Reuters, o executivo disse que a companhia ainda está operando na Ucrânia, fornecendo a agricultores apesar dos perigos envolvidos. “Conseguimos levar fertilizantes para a Ucrânia há algum tempo, em colaboração com nossos funcionários para suprir esse mercado”, disse.

Compartilhe esta publicação: