Reino Unido define plano para regular stablecoins e ampliar adesão a criptomoedas

O plano ajudará consumidores a fazerem pagamentos com mais eficiência.

Reuters
Compartilhe esta publicação:
Dado Ruvic/Reuters
Dado Ruvic/Reuters

Stablecoins são criptomoedas projetadas para ter um valor estável em relação às moedas tradicionais

Acessibilidade


O Reino Unido definiu hoje (4) um plano detalhado para explorar o potencial dos criptoativos e sua tecnologia blockchain para ajudar consumidores a fazerem pagamentos com mais eficiência.

Como parte da criação de uma rede global de criptoativos, o ministro de serviços financeiros John Glen disse que o Reino Unido usará a legislação para regular algumas stablecoins, no cumprimento das regras de pagamento existentes.

Stablecoins são criptomoedas projetadas para ter um valor estável em relação às moedas tradicionais ou a uma mercadoria como ouro, para evitar a volatilidade que torna o bitcoin e outros tokens digitais impraticáveis ​​para a maioria do comércio.

Todas as stablecoins que fazem referência a uma moeda fiduciária devem ser reguladas, disse o governo. “A abordagem garantirá a conversibilidade em moeda fiduciária ao par e sob demanda”, disse o Ministério das Finanças, acrescentando que o Banco da Inglaterra regularia as stablecoins “sistêmicas”.

Ainda neste ano, o Reino Unido fará consultas sobre regulamentos para um conjunto mais amplo de criptoativos como bitcoin, levando em consideração o consumo de energia do setor.

Inscreva-se para receber a nossa newsletter
Ao fornecer seu e-mail, você concorda com a Política de Privacidade da Forbes Brasil.

VEJA TAMBÉM: Quase 50% dos donos de criptomoedas compraram o ativo pela 1ª vez em 2021, diz pesquisa

O “plano detalhado” do Reino Unido também desenvolverá o potencial do blockchain, incluindo seu uso para emitir títulos ou títulos do governo britânico.

Um sandbox regulatório será lançado pelo Banco da Inglaterra e pela FCA no próximo ano para testar o uso de blockchain na infraestrutura de mercado, disse Glen.

A Comissão de Direito considerará o status legal de organizações autônomas descentralizadas que usam blockchain, enquanto as implicações de cripto sobre impostos também serão estudadas, disse Glen.

“No geral, não achamos que o código tributário precisará de uma grande mudança para fazê-lo funcionar mais facilmente para as criptomoedas”, disse Glen.

Compartilhe esta publicação: