Zona do euro enfrenta crescimento mais lento e preços mais altos com guerra, mostra pesquisa do BCE

Analistas consultados pelo BCE colocaram a projeção de inflação em 6% este ano, duas vezes mais alta do que o previsto.

Reuters
Compartilhe esta publicação:
RalphOrlowsk/Getty Images
RalphOrlowsk/Getty Images

zona do euro enfrenta crescimento econômico mais lento e inflação mais alta à medida em que a invasão da Ucrânia pela Rússia eleva os custos

Acessibilidade


A economia da zona do euro enfrenta crescimento econômico mais lento e inflação mais alta à medida em que a invasão da Ucrânia pela Rússia eleva os custos, atrapalha o comércio e atinge a confiança, mostrou uma pesquisa do BCE (Banco Central Europeu) com economistas hoje.

Analistas consultados pelo BCE colocaram a projeção de inflação em 6% este ano, duas vezes mais alta do que o previsto há apenas dois meses, e a viram ficar um pouco acima da meta de 2% do BCE no longo prazo.

“Em relação às perspectivas de curto prazo, os entrevistados consideraram a alta inflação como sendo determinada principalmente por fatores de custo em vez de demanda, e consideraram que o conflito na Ucrânia havia reacendido e amplificado as pressões de preços”, disse o BCE em um comunicado à imprensa.

O crescimento foi visto com uma desaceleração para 2,9% este ano, de 4,2% na pesquisa anterior, e o BCE disse que “quase todos” os entrevistados atribuíram suas revisões para baixo às repercussões da invasão russa à Ucrânia.

“Além dos preços mais altos das commodities de energia e alimentos, interrupções em alguns setores e as sanções impostas, os economistas observaram que a situação resultou em quedas na confiança de empresas e consumidores e perda de poder de compra para as famílias”, acrescentou o BCE.

Inscreva-se para receber a nossa newsletter
Ao fornecer seu e-mail, você concorda com a Política de Privacidade da Forbes Brasil.

 

Compartilhe esta publicação: