Jerome Powell toma posse para segundo mandato de quatro anos à frente do Fed

Compartilhe esta publicação:

(Reuters) – O chair do Federal Reserve, Jerome Powell, tomou formalmente posse nesta segunda-feira para iniciar seu segundo mandato de quatro anos como chefe do banco central dos Estados Unidos, que tenta conter a inflação mais alta em quatro décadas sem levar a economia à recessão.

Acessibilidade


Também foram empossados nesta segunda-feira Lael Brainard, como a nova vice-chair do Fed, e os dois mais novos membros do conselho de diretores do banco central, Philip Jefferson e Lisa Cook, ambos economistas negros, informou o Fed em comunicado.

O ex-presidente norte-americano Donald Trump indicou Powell para seu primeiro mandato como chefe da instituição financeira. Depois, o atual presidente Joe Biden o escolheu em novembro de 2021 para servir mais quatro anos. O ex-advogado no setor de private equity sobreviveu a severas críticas de Trump durante seu primeiro mandato no comando do banco central.

O Senado dos EUA votou em 12 de maio para confirmar Powell no cargo com apoio bipartidário. Powell atua no Conselho de Diretores do Fed desde 2012.

Cook é a primeira mulher negra a servir no Conselho da instituição financeira. Esta também é a primeira vez o Fed terá mais de um formulador de política monetária negro trabalhando juntos.

A posse significa que seis dos sete assentos na diretoria do banco central estão preenchidos apenas algumas semanas antes da reunião de política monetária de 14 a 15 de junho, na qual se espera um ajuste de 0,50 ponto percentual na taxa básica de juros, conforme o banco central enfrenta a inflação.

Inscreva-se para receber a nossa newsletter
Ao fornecer seu e-mail, você concorda com a Política de Privacidade da Forbes Brasil.

Jefferson foi recentemente reitor do corpo docente da Davidson College e escreveu extensivamente sobre a pobreza. Cook foi professora de economia na Universidade Estadual de Michigan, onde sua pesquisa se concentrava no impacto econômico da desigualdade racial e de gênero.

Nenhum deles deverá ter um impacto imediato na trajetória da política monetária do banco central, decidida em reuniões regulares ao longo do ano pelo Conselho do Fed e pelos presidentes dos 12 bancos regionais da instituição.

Powell prometeu continuar a insistir em aumentos dos juros até que haja evidências claras e convincentes do arrefecimento da inflação.

Operadores de futuros atrelados à taxa básica de juros do Fed apostam que isso significa que a taxa de empréstimo de um dia entre os bancos –atualmente na faixa de 0,75% a 1%– subirá para 2,75% a 3% até o fim do ano, valor alto o suficiente para começar a frear o crescimento econômico.

Escolha de Biden para ocupar a sétima cadeira do Fed, o ex-funcionário sênior do Departamento do Tesouro Michael Barr, provavelmente ganhará a confirmação do Senado como vice-chair de supervisão do banco central, disse o senador republicano Pat Toomey à Reuters nesta segunda-feira. Esse posto faria Barr assumir um portfólio abrangente onde supervisionaria os maiores bancos dos EUA.

(Por Ann Saphir)

Compartilhe esta publicação: