Latam tem apoio de credores para sair da falência nos EUA

A empresa com sede no Chile teve problemas de solvência com a pandemia do coronavírus a partir de 2020.

Redação
Compartilhe esta publicação:
Ivan Alvarado/Reuters
Ivan Alvarado/Reuters

A companhia aérea Latam opera no Brasil, Chile, Colômbia, Equador e Peru e entrou em falência com a pandemia

Acessibilidade


A Latam Airlines recebeu o apoio da maioria de seus credores não-segurados para seu plano de saída do Capítulo 11 da Lei de Falência dos Estados Unidos, informou a companhia aérea na sexta-feira (6).

A companhia aérea, que entrou em falência nos EUA em 2020 após ter sido atingida pela crise do coronavírus, disse que cerca de 65% de seus credores de baixo escalão haviam apoiado o plano, que disse ser “justo e considerar todas as partes interessadas”.

Um comitê representando credores apresentou uma objeção na Justiça ao plano de reestruturação na segunda-feira, chamando-o de “fundamentalmente defeituoso” e alegando que beneficiaria indevidamente acionistas como a Delta Airlines às suas custas.

Criada em 2012 após a fusão da chilena LAN com a brasileira TAM e com unidades operacionais no Chile, Brasil, Colômbia e Peru, ainda precisa conseguir o apoio das partes interessadas dissidentes.

O plano, no qual a Latam espera levantar US$ 5,4 bilhões (R$ 27 bilhões), também recebeu objeções de um banco chileno representando detentores de títulos locais e do órgão de fiscalização de falências do Departamento de Justiça dos EUA.

Inscreva-se para receber a nossa newsletter
Ao fornecer seu e-mail, você concorda com a Política de Privacidade da Forbes Brasil.

Os advogados da companhia aérea solicitarão a um juiz de Nova York que aprove sua proposta no tribunal no dia 17 de maio. “A Latam continua com o objetivo de completar o processo e sair do Capítulo 11 na segunda metade de 2022”, disse a companhia aérea em comunicado.

 

Compartilhe esta publicação: