Wall St sofre maior queda semanal desde janeiro após dados de inflação em alta

Compartilhe esta publicação:

 

Acessibilidade


Por Caroline Valetkevitch

NOVA YORK (Reuters) – As ações dos Estados Unidos registraram suas maiores quedas percentuais semanais desde janeiro e fecharam em forte baixa diária nesta sexta-feira, depois que uma alta mais acentuada do que o esperado nos preços ao consumidor dos EUA em maio alimentou preocupações de investidores sobre aumentos mais agressivos dos juros pelo Federal Reserve.

O índice S&P 500 fechou em queda de 2,91%, a 3.900,86 pontos. O Dow Jones caiu 2,73%, a 31.392,79 pontos. O índice de tecnologia Nasdaq Composite recuou 3,52%, a 11.340,02 pontos.

Nomes de tecnologia e crescimento, cujas avaliações dependem mais de fluxos de caixa futuros, lideraram o declínio. Microsoft Corp, Amazon.com e Apple Inc foram os principais responsáveis pelas perdas no S&P 500.

O relatório do Departamento do Trabalho dos EUA mostrou que o índice de preços ao consumidor acelerou 1,0% no mês passado, depois de avançar 0,3% em abril. Economistas consultados pela Reuters previam que o índice subisse 0,7% no mês.

Inscreva-se para receber a nossa newsletter
Ao fornecer seu e-mail, você concorda com a Política de Privacidade da Forbes Brasil.

Na comparação anual, os preços tiveram alta de 8,6%, seu maior ganho desde 1981 e seguiram um salto de 8,3% em abril. [nL1N2XX11W] Os principais índices registraram seus maiores declínios percentuais semanais desde a semana encerrada em 21 de janeiro. O Dow Jones recuou 4,58%, o S&P 500 desvalorizou 5,06% e o Nasdaq teve baixa de 5,60% na semana. O S&P 500 tem variação negativa de 18,2% no ano até agora. Nesta sexta-feira, o índice de crescimento do S&P 500 sofreu queda de 3,7%, enquanto o índice de valor cedeu 2,2%.

Compartilhe esta publicação: