Eve, da Embraer, terá versão de carro voador de Ayrton Senna

Em parceria com a marca do piloto, empresa de mobilidade aérea urbana desenvolverá um evTOL temático do ídolo brasileiro de Fórmula 1.

Redação
Compartilhe esta publicação:
Divulgação/Eve-Senna
Divulgação/Eve-Senna

O Eve-Senna terá design inspirado no piloto brasileiro com as cores vermelho e preto

Acessibilidade


A Eve, empresa de transporte aéreo urbano da Embraer, anunciou esta semana uma parceria com a marca de Ayrton Senna para a produção do primeiro eVTOL (veículo elétrico de decolagem e pouso vertical, na sigla em português) temático do maior piloto brasileiro de Fórmula 1. Com design futurista e inspirado no tricampeão das corridas de F1, o carro voador terá as cores vermelho e preto por toda a sua parte interna e externa.

Segundo as duas empresas, o projeto Eve-Senna simboliza suas visões de futuro sustentável e inovação no mercado de mobilidade urbana. “Fui privilegiado por ter feito parte da geração que acompanhou a carreira de Ayrton Senna. Sua ousadia, capacidade de superação e conquistas, unindo paixão e tecnologia, foram uma inspiração para seguir carreira em engenharia”, afirmou Andre Stein, CEO da Eve. “Tenho certeza de que essa parceria vai contribuir muito para inspirar as novas gerações a desenvolverem as tecnologias que vão transformar o futuro.”

VEJA TAMBÉM: O que atrai as empresas de tecnologia à Fórmula 1?

O anúncio da parceria acontece no momento em que a Eve, unidade independente de mobilidade urbana da EmbraerX (o braço de inovação da fabricante brasileira de aeronaves), completa um ano de operação. Neste período, a startup já firmou uma série de contratos para desenvolver e fornecer centenas de “carros voadores” – com zero emissão de carbono e redução drástica de ruídos, segundo ela – para diferentes empresas internacionais, como Blade Air Mobility, Avantto e Widerøe Zero, a partir de 2026.

Desde o dia 8 de novembro, a Eve também faz uma simulação no Rio de Janeiro para testar rotas de operação de seus evTOLs. O simulado de mobilidade aérea urbana conecta a Barra da Tijuca com o Aeroporto Internacional Tom Jobim (RIOgaleão), com seis voos diários por R$ 99 por passageiro, durante um mês inteiro. Segundo a empresa, o teste, feito com helicópteros, considera valores próximos ao que se espera no futuro para uma operação com uma aeronave elétrica de pouso e decolagem vertical.

Inscreva-se para receber a nossa newsletter
Ao fornecer seu e-mail, você concorda com a Política de Privacidade da Forbes Brasil.

Compartilhe esta publicação: