Os hackathons presenciais estão voltando, mas nunca mais serão os mesmos

As maratonas de tecnologia voltadas a resolver problemas de forma rápida e em um curto período passam a ser mais dinâmicas e abrangentes com os aprendizados da pandemia.

Luiz Gustavo Pacete
Compartilhe esta publicação:

Com os modelos híbridos, o conceito de hackathons expandiu para novos formatos e dinâmicas (Crédito: Getty Images)

Acessibilidade


Com quase dois anos de pandemia, os hackathons, as chamadas maratonas de tecnologia que reúnem em um período curto grandes mentes da programação para resolver problemas, também sofreram limitações. Foram adaptados e passaram a ocorrer de forma virtual. No entanto, com a retomada gradual, essa atividade tão comum no mundo da tecnologia não voltará da mesma forma. Ela se adaptou e ganha novos contornos.

“A pandemia mudou drasticamente a forma de se realizar e de participar de eventos e não foi diferente com os hackathons. As famosas maratonas de programação, que habitualmente aconteciam em lugares descolados, com cenografias marcantes e muita pizza, de um dia para outro passaram a ser realizadas de forma 100% online e essa mudança tornou esse tipo de evento mais acessível principalmente em lugares distantes das grandes capitais onde habitualmente acontecem”, explica Rodrigo Terron, COO na Rocketseat e anjo investidor.

A pedido da Forbes Brasil, Terron destacou cinco impactos da pandemia nos hackathons.

Diversas etapas
“O modelo híbrido utilizando evento on line e off line traz uma perspectiva de um hackathon realizado por etapas, onde inicia de forma digital e vai reduzindo o número de participantes até uma edição presencial”

Eventos internos
“Durante a pandemia, muitas empresas passaram a utilizar a metodologia do hackathon como ferramenta de troca entre os colaboradores, agora no pós-pandemia o uso da metodologia tende a ser fortalecido no presencial como é hoje no Vale do Silício”

Inscreva-se para receber a nossa newsletter
Ao fornecer seu e-mail, você concorda com a Política de Privacidade da Forbes Brasil.

LEIA TAMBÉM: Muito além do conceito, metaverso já movimenta negócios bilionários

Universidades e escolas
“A educação sofreu grandes impactos com a pandemia, muitos alunos se distanciaram de suas rotinas educacionais e hackathons passaram a ser utilizado como forma de gerar engajamento, e agora no pós-pandemia os hackathons podem se tornar um forte aliado das metodologias ativas de aprendizagem”

Escala
“Os hackathons mais famosos normalmente recebem pelo menos 30 vezes mais inscrições do que sua capacidade, o formato online tornou possível ter mais participantes, pós-pandemia os modelos híbridos vão resolver a questão logística e até conectar mais pessoas de diferentes estados e países para participar de uma maratona”

Plataformas
“Outro elemento que mudou muito a forma de organização de hackathon está relacionado a adoção de plataformas e ferramentas, hoje a maior parte dos hackathons utiliza para comunicação o Discord ou Slack e uma gama de outras ferramentas para gestão de cada etapa”

Compartilhe esta publicação: