Escolas apostam no jogo Roblox como ferramenta de ensino

Com mais de 700 milhões de usuários ativos, a plataforma tornou-se parte importante de dinâmicas de programação e lógica.

Luiz Gustavo Pacete
Compartilhe esta publicação:
Reprodução

O Roblox é uma plataforma que permite a criação de vários outros jogos

Acessibilidade


Jogo, metaverso, plataforma imersiva. Existem vários termos para definir o Roblox, um mundo virtual onde experiências e narrativas podem ser criadas. Globalmente, o Roblox é utilizado por mais de 700 milhões de usuários ativos e já contabilizou pouco mais de 500 mil experiências criadas. Transformou-se em um fenômeno de atração de marcas já que Nike, Vans, Gucci e muitas outas empresas já realizaram experiências dentro da plataforma. No entanto, apesar de seu uso no entretenimento, existe uma função cada vez mais crescente do Roblox em dinâmicas pedagógicas.

LEIA TAMBÉM: Casal brasileiro cria startup de games nos EUA com Minecraft como cliente

Escolas brasileiras, principalmente as especializadas em programação e tecnologia, vêm aplicando o jogo nas dinâmicas de ensino. Rafael Lagrange, coordenador pedagógico da SuperGeeks, explica que o Roblox, em sua escola, é utilizado com o objetivo de ensinar o aluno a programar e a entender a lógica de programação. “A ideia é estimular a criatividade do aluno por meio da criação de um próprio cenário e dos seus próprios scripts. Durante as aulas eles criam personagens e itens, ou seja, coisas que podem adicionar em seus jogos e também utilizar para venda.”, explica.

Divulgação

A SuperGeeks, escola de tecnologia, utiliza o Roblox para ensinar técnicas de programação e lógica

A plataforma possui o Roblox Studio, ferramenta de desenvolvimento que permite aos alunos criarem seus próprios mecanismos e jogos. “O Roblox trabalha muito com uma comunidade proativa. Por exemplo, se ocorre o lançamento de um filme da Marvel, eles criam os itens que aparecem no filme, programam seus mecanismos e depois replicam em jogos. Dessa forma, a comunidade do Roblox acaba criando muita coisa para o próprio jogo”, detalha Rafael.

Inscreva-se para receber a nossa newsletter
Ao fornecer seu e-mail, você concorda com a Política de Privacidade da Forbes Brasil.

Minecraft também é outro jogo que permite dinâmicas de aprendizado e ensino e já foi utilizada pela SuperGeeks. “Utilizar jogos como Roblox e Minecraft na aprendizagem é, além da introdução à linguagem computacional, design ou ferramenta didática, uma inserção da realidade do estudante no ambiente escolar. Que o engaja, socializa e oferece repertório para o desenvolvimento de competências sociais e emocionais no processo”, explica Guilherme Rodrigues Alves, fundador e CEO da Explore Digital.

Hub criativo

Para muitos profissionais que aplicam o jogo em dinâmicas de ensino, ele também atua como um hub. Ou seja, não é somente um jogo, mas uma série de comunidades que permite a criação de experimentos e dinâmicas interativas. “Transformamos a ferramenta em algo didático quando mostramos aos alunos que ela vai muito além da criação de um jogo. Originalmente, o Roblox foi criado com o intuito de ensinar física, mas conforme ele foi se popularizando, tornou-se uma ferramenta de criação de mundos”, lembra Rafael.

LEIA TAMBÉM: O game brasileiro que recebeu investimento de banco e explodiu no TikTok

Um ponto importante para os profissionais de educação é a segurança. “Garantir a segurança dentro do Roblox, em sala de aula, é mais fácil porque o Roblox Studio é uma ferramenta fechada, ou seja, ela não está diretamente conectada a outros usuários. Quando alguém faz o download do Roblox Studio para criar os seus jogos, não terá um chat para falar com outras pessoas. Sempre alertamos aos pais para ficarem atentos: verificar o que o filho está fazendo; caso utilize o cartão de crédito na plataforma, inserir um virtual e verificar a fatura; conversar com a criança para que não realize compras sozinhas; bem como manter um diálogo real sobre o comportamento dentro de um ambiente virtual”, conclui Rafael.

Compartilhe esta publicação: