CATL planeja produzir baterias para carros elétricos nos EUA, dizem fontes

Por Christoph Steitz e Ben Klayman (Reuters) (Reuters) – A CATL, maior fabricante de baterias do mundo, está em fase final de testes nos Estados Unidos para atender veículos elétricos, o que seria a primeira.

Compartilhe esta publicação:

Por Christoph Steitz e Ben Klayman (Reuters)

Acessibilidade


(Reuters) – A CATL, maior fabricante de baterias do mundo, está em fase final de testes nos Estados Unidos para atender veículos elétricos, o que seria a primeira produção da chinesa no segundo maior mercado de automóveis do mundo, disseram fontes à Reuters.

A empresa negocia para abrir fábricas que atenderiam BMW e Ford. Os potenciais locais de instalação incluem os Estados da Carolina do Sul e do Kentucky, onde essas montadoras têm unidades de produção, disseram duas fontes à Reuters, sob condição de anonimato.

No caso da potencial fábrica da Carolina do Sul, o objetivo seria para começo da produção de baterias em 2026, disse uma das fontes. A CATL não quis comentar.

O presidente da empresa Zeng Yuqun disse na véspera que a empresa está explorando possibilidades de localizar a produção para montadoras estrangeiras em seus países.

Ele disse que a CATL iniciou a produção em massa de baterias para for a da China em 2021 e quer se firmar como maior fornecedora de baterias no exterior na próxima rodada de pesquisa de fornecedores, que ele disse que começa em 2026.

Inscreva-se para receber a nossa newsletter
Ao fornecer seu e-mail, você concorda com a Política de Privacidade da Forbes Brasil.

A consideração do investimento em baterias pela CATL ocorre enquanto o governo norte-americano lança medidas para incentivar investimentos em veículos elétricos. Outros fabricantes de baterias asiáticos se preparam para construir fábricas nos EUA.

A CATL abrirá sua primeira fábrica de baterias fora da China neste ano na Alemanha, para atender a BMW e outras montadoras. A CATL vai investir 1,8 bilhão de euros nessa fábrica.

(Por Zhang Yan, Christoph Steitz e Ben Klayman)

Compartilhe esta publicação: