Cofundador do TikTok retorna à ativa com app de namoro

O Spark foi lançado no começo de maio nos EUA após ser testado na Irlanda e Holanda em 2021.

Abram Brown
Compartilhe esta publicação:
Reprodução

Imagem da tela do Spark que tem uma lógica diferente dos aplicativos tradicionais

Acessibilidade


Há uma década, o Tinder mudou para sempre a forma como namoramos, e quase 40% dos americanos agora dizem que conheceram seu parceiro por meio de um aplicativo, o dobro de uma década antes – e quase zero de uma década ainda antes. Alex Hofmann, um dos primeiros executivos do TikTok, acha que pode fazer ainda melhor.

Ao considerar uma direção para seu novo aplicativo de namoro, Spark, “o feedback que recebíamos era: por que não há algo que realmente torne a experiência de namoro sem atritos?” diz Hofmann. “Algo que permita que as pessoas passem mais tempo em um encontro em vez de gastar mais horas tentando encontrar um date.” O Spark foi lançado na semana passada, nos EUA, após um piloto na Irlanda e Holanda no ano passado.

LEIA TAMBÉM: Como o TikTok Live se tornou “um clube de strip cheio de jovens de 15 anos”

O Spark acaba com a função de deslizar do Tinder em favor de uma grade navegável – muito parecida com algo que você pode ver em um site de comércio eletrônico – e espera acelerar o processo de encontrar alguém. Seu algoritmo prioriza usuários ativos, e a configuração do aplicativo recompensa não apenas logins, mas também interação consistente com outros usuários. Há uma sensação de que os aplicativos existentes não fazem um bom trabalho em motivar os usuários a responder às mensagens. “Ao contrário de outros aplicativos, o Spark não se trata de acumular curtidas infinitamente”.

A indústria de aplicativos de namoro está fortemente concentrada nas mãos de alguns gigantes: Tinder e outros aplicativos do Match Group e Bumble, que coletivamente desfrutam de mais de US$ 27 bilhões em valor de mercado e US$ 3,2 bilhões em receita. Hofmann experimentou a pressão em torno do combate a oponentes profundamente arraigados como o primeiro presidente da América do Norte no Musical.ly; a startup de Los Angeles que se vendeu em 2017 para a ByteDance, de propriedade de Pequim, e acabou se transformando no TikTok. Ele ingressou no Musical.ly um ano antes da venda e deixou a empresa em 2018.

Inscreva-se para receber a nossa newsletter
Ao fornecer seu e-mail, você concorda com a Política de Privacidade da Forbes Brasil.

O Spark é um dos vários aplicativos em que Hofmann e seu cofundador, Joe Viola, estão trabalhando na 9Count, sua startup de três anos com sede em Los Angeles. Eles tiveram algum sucesso com o Wink, um aplicativo para fazer amizades online. Essa estratégia de aposta de spread é retirada do manual do ByteDance : o ByteDance lançou uma série de aplicativos de sucesso na última década, embora muitos estejam disponíveis apenas para o público chinês e estrangeiro, como o agregador de notícias Toutiao e Lark, um sistema de mensagens no local de trabalho no estilo Slack sistema. “Espero ver o mercado americano mudar, onde as empresas vão lançar vários produtos ao mesmo tempo”, diz Hofmann.

Compartilhe esta publicação: