Fundador da Netflix junta-se à plataforma NFT de fotos Cheeze

Startup quer levar o trabalho de fotografia para o blockchain e busca dar autonomia aos fotógrafos profissionais

Josh Wilson
Compartilhe esta publicação:
Reprodução/Forbes
Reprodução/Forbes

O co-fundador da Netflix, Marc Randolph

Acessibilidade


A Cheeze, Inc. anunciou que o co-fundador da Netflix Marc Randolph está se juntando ao seu conselho de administração. A notícia segue uma segunda rodada de investimento seed lançada pela startup no mês passado, na qual Randolph deu continuação à sua aplicação da rodada inicial, liderada pela Olive Tree Capital.

“Estou muito empolgado em ingressar no conselho da Cheeze, Inc. A equipe que Simon (Hudson, CEO e fundador da Cheeze) está construindo é realmente impressionante e estou animado para ver o progresso que eles fazem”, disse Randolph.

Leia mais: Com base em blockchain, empresa brasileira quer aproximar o marketing da Web3

A plataforma traz a fotografia para o blockchain por meio do lançamento de galerias de fotos NFT. Ele permite que qualquer pessoa compre uma galeria em sua plataforma e alugue o espaço para fotógrafos que desejam mostrar suas coleções.

O objetivo é mudar a “creator economy”, dando aos criadores controle total sobre seu trabalho, a narrativa e como ela é monetizada.

Inscreva-se para receber a nossa newsletter
Ao fornecer seu e-mail, você concorda com a Política de Privacidade da Forbes Brasil.

A Cheeze construiu sua estrutura na blockchain FLOW, onde não há taxas para a conversão. Portanto, os fotógrafos podem cunhar NFTs gratuitamente. A plataforma quer mudar a forma como os fotógrafos compartilham suas imagens com o mundo.

Simon Hudson, CEO e fundador da empresa, diz sobre o conceito: “A ideia final é que você queira capturar esses momentos e memórias quando estiver compartilhando fotos com as pessoas”.

“Cada foto tem muitos metadados, mas isso pode se perder facilmente. Então, queremos trazer a fotografia, os negativos e os metadados para o blockchain, o que significa que você está capturando um momento no tempo e sempre olhando para trás e o vendo.”

Leia mais: Entenda o que são as deep techs e como surgiu o conceito

O mercado global de serviços fotográficos cresceu de US$ 33 bilhões (R$ 161 bilhões na cotação de ontem, 20) em 2020 para quase US$ 39 bilhões (R$ 190 bilhões) em 2021. A estimativa é que ele chegue a cerca de US$ 43 bilhões (R$ 210 bilhões) até o final deste ano. De acordo com o Yahoo Finance, o mercado de NFT deve crescer 52%, passando dos US$ 14 bilhões (R$ 68,3 bilhões) no ano passado para US$ 21,3 bilhões (R$ 104 bilhões) este ano.

“Simon e sua equipe também mostraram que estão focados em fornecer verdadeira utilidade para pessoas que procuram trazer seu trabalho para a Web 3.0. Em um ambiente NFT onde o estilo parece prevalecer, esta é uma receita para o sucesso a longo prazo”, Randolph afirma.

Ele continua: “Estou muito animado por fazer parte desta aventura e ter um assento na primeira fila, enquanto Cheeze descobre o que este novo mundo da Web 3.0 pode oferecer”.

FUTURO DA WEB3 E NFTs

O especialista em NFT e co’nsultor de crescimento de marketing, Jose Colmenares, previu um futuro em que os conceitos da Web3 iriam revolucionar as indústrias modernas por vários anos.

Colmenares é cofundador do Ups Future com Javier Romero (também conhecido como Javier Hala Madrid), um clube onde os membros podem ter acesso a informações exclusivas de investimento sobre startups de tendências, NFTs e projetos metaversos, para que possam tomar decisões baseadas em informações ao investir.

Reprodução/Forbes
Reprodução/Forbes

Jose Colmenares (à esquerda) e Javier Romero

Tudo isso focado no mercado hispânico e, portanto, apresenta uma plataforma bilíngue para ajudar a descentralizar um setor que está se tornando fortemente estruturado no inglês.

“Após uma cuidadosa pesquisa, percebemos que há pouca ou nenhuma informação sobre potenciais oportunidades de investimento e envolvimento no metaverso, startups, NFTs, em espanhol”, disse Colmenares.

Leia mais: Startups latino-americanas captaram mais de R$ 77 bi, e Brasil ganha destaque

“É por isso que o Ups Future é tão único. Queremos alcançar as comunidades que, por causa de uma barreira linguística, não estiveram envolvidas no promissor mercado relacionado a blockchain.”

Sobre as condições atuais do mercado, ele se manteve otimista e confiante, já que, em sua opinião, a tecnologia é comprovada e crescente. Ele culpou a inflação que está tomando conta de muitos países como a razão do recente declínio do mercado.

“Aprendi muito cedo a não ter medo do que você não conhece ou não entende. Quando você entra em um espaço que tem sido constantemente atacado por uma série de instituições financeiras e outras, é muito fácil que um projeto falhe”, diz Colmenares.

“Essa é a razão pela qual queremos tornar tudo isso fácil de entender, para ajudar a trazê-lo para as massas. Sempre houve, e sempre haverá, pessoas que se recusam a abraçar o futuro e a tecnologia. Esperamos poder estar parcialmente envolvidos para evitar que isso ocorra.”

Na plataforma Cheeze e com outras inovações na indústria, Colmenares prevê um momento em que mais e mais pessoas se adaptarão à Web3 para buscar uma maneira melhor e mais eficiente de fazer as coisas.

“É uma questão de tempo, até que a maioria das coisas, incluindo filmes, músicas e outras, sejam ‘tokenizadas’”, diz ele. “Acreditamos que no futuro a transação passará dos criadores/produtores direto para o consumidor final. Uma transação P2P real que poderia impactar plataformas e canais de streaming.”

Leia mais: Conheça 4 profissões do futuro que parecem ter vindo da ficção

“O Cheeze permite mais transparência, um registro limpo por meio de blockchain e uma maneira avançada de como as pessoas podem compartilhar fotos. Em última análise, está permitindo que fotógrafos, tanto casuais quanto profissionais, tragam seu trabalho para o blockchain.”

“Todo setor tem essa oportunidade de usar a Web3 para otimizar seus negócios e torná-los mais eficientes. É ótimo que a Cheeze esteja fazendo isso para a fotografia.”

A tecnologia Blockchain no Cheeze armazena com segurança metadados como hora, local, data, criador, tamanho da imagem, ISO e distância focal. Ou seja, os dados não podem ser excluídos ou alterados.

A plataforma também estará disponível para iOS e Android para facilitar o acesso das pessoas que tiram fotos em seus smartphones.

>> Inscreva-se ou indique alguém para a seleção Under 30 de 2022

Compartilhe esta publicação: