O plano de Pat Gelsinger para consertar a Intel

Não há dúvidas de que o atual CEO da companhia está no comando e pretende novas transformações em uma empresa que tem relação direta com a história da internet

Steven Leibson
Compartilhe esta publicação:
Getty Images

Pat Gelsinger assumiu o comando da Intel em fevereiro de 2021 e vem colocando as empresas no eixo novamente

Acessibilidade


Pat Gelsinger e vários de seus líderes realizaram uma coletiva de imprensa na hora do almoço no evento Intel Vision 2022, no início de maio, fora de Dallas. Embora ele deixasse seus homens e mulheres de confiança falarem sobre questões específicas, não havia dúvida de que Gelsinger está no comando da nave Intel. Na verdade, ele está tão no comando que até pistas no evento provaram a premissa. Por exemplo, o guarda-roupa de escolha de Gelsinger é um par de jeans e um blazer escuro. Não surpreendentemente, esse conjunto parecia ter se tornado a norma para a maioria dos funcionários da Intel no Intel Vision Event, onde um mar de jeans e blazers azuis ou pretos podiam ser vistos.

Claro, vestimenta e comportamento são atributos culturais. Outras mudanças óbvias na Intel incluem a nomeação de Greg Lavender como CTO e vice-presidente sênior e gerente geral do grupo de software e tecnologia avançada da empresa e, mais recentemente, a nomeação de Christoph Schell como vice-presidente executivo e diretor comercial. Lavender atuou como CTO sob Gelsinger na VMware, então Gelsinger está bem familiarizado com suas habilidades. Schell passou 25 anos na HP Inc, mais recentemente como Diretor Comercial, e deu início ao evento com uma corrida enérgica pelo Centro de Convenções Gaylord Texan, capturada por uma série de câmeras estrategicamente posicionadas até Schell invadir o salão de baile para tirar durante as festividades como mestre de cerimônias, bem a tempo de apresentar o discurso principal de Gelsinger. Claramente, Schell tem a energia e a mentalidade, e exibe o impulso que Gelsinger procura em um gerente de vendas de alto nível.

Leia mais: Falta de chips não tem prazo para acabar, diz diretora da Intel

Adicionar um forte gerenciamento de nível superior certamente faz parte do plano de Gelsinger de reviver uma Intel que perdeu participação de mercado para uma AMD em retomada e enfrenta uma concorrência mais acirrada de outras empresas, como Nvidia e Qualcomm. No entanto, a participação de mercado da Intel tem sido tão alta em processadores para PC e servidores que realmente não tinha para onde ir, a não ser cair se surgisse uma forte concorrência, o que foi exatamente o que aconteceu. Mas a opinião de Gelsinger sobre a perda da Intel não é o que você poderia esperar. “Nós não perdemos participação de mercado”, explicou ele, “nós demos a eles.”

Gelsinger então ofereceu duas causas básicas para a perda da Intel. Primeiro, ele disse que a Intel simplesmente não apareceu nas principais categorias de produtos em que os clientes queriam que a empresa competisse. Seu principal exemplo de tal categoria são as GPUs. Apesar de várias tentativas, a Intel não abordou seriamente o mercado de GPUs por anos, enquanto a Nvidia e a AMD/ATI lutavam pela supremacia da GPU. A Intel agora está abordando o mercado de GPU com sua arquitetura Xe, que se estende desde a família Arc de placas de GPU discretas para PCs até supercomputadores com o SoC Ponte Veccio GPGPU fantasticamente agressivo e refrigerado a água. Com seus 100 bilhões de transistores espalhados por 47 chiplets ativos colocados em um substrato, a Ponte Veccio é um exemplo de fabricação e embalagem de semicondutores e prova o valor da montagem baseada em chiplet usando matriz de semicondutores feita por diferentes fornecedores usando vários nós de processo onde é apropriado.

Inscreva-se para receber a nossa newsletter
Ao fornecer seu e-mail, você concorda com a Política de Privacidade da Forbes Brasil.

Leia mais: Gestão voltada ao ESG não se sustenta sem dados, diz CEO da SAP no Brasil

O CEO da Intel também apontou outra maneira pela qual a Intel não apareceu. Nas décadas anteriores, a Intel liderou na criação de plataformas abertas para a indústria e, em seguida, aproveitou as oportunidades criadas por essas plataformas, disse Gelsinger. Ele citou PCI e PCIe, USB e WiFi como exemplos de tais plataformas. A Intel ainda envia muitos chips e obtém muito lucro dessas plataformas, direta e indiretamente, disse Gelsinger. A Intel não tem feito esse tipo de coisa ultimamente, disse Gelsinger, e as oportunidades estão em grande parte no software. Gelsinger então observou que agora ele tem 17 mil engenheiros de software trabalhando na Intel.

A segunda razão para as perdas de mercado da Intel, disse Gelsinger, foi a execução. Ninguém que segue a Intel deve se surpreender com essa afirmação. A Intel fez uma aposta muito ruim e se atrasou para a festa EUV. Não há como manter a liderança do processo de semicondutores quando você perde os marcos, e Gelsinger claramente não está tolerando esse tipo de execução ruim. Seu mentor, Andy Grove, certamente não.

Leia também: Intel faz nova aposta em chips e compra israelense Tower por US$ 5,4 bilhões

Desde que Gelsinger assumiu o cargo de CEO da Intel no início de 2021, a empresa está em uma busca agressiva para desenvolver cinco novos nós de processo em quatro anos, começando com o Intel 7. Os planos de Gelsinger de devolver a Intel ao primeiro lugar da indústria de semicondutores vão além de apenas aparecer e executar, e ele abordou diretamente seus planos adicionais durante a conferência de imprensa na Intel Vision 2022. “O mundo precisa de uma cadeia de suprimentos de semicondutores mais robusta e geograficamente diversificada”, ele disse. Suas observações fazem alusão aos amplos esforços da Intel para revitalizar a fabricação de semicondutores nos EUA e na Europa com a nova construção de fábricas da Intel anunciada para Oregon, Arizona, Novo México e Ohio; construção adicional na Europa, com fábricas e sites de P&D anunciados para Alemanha, França, Irlanda, Itália e Espanha; e a aquisição em andamento da Tower Semiconductor, com instalações existentes em Israel, Itália e Estados Unidos. 

>> Inscreva-se ou indique alguém para a seleção Under 30 de 2022

Compartilhe esta publicação: