Positivo vende mais para empresas e governos e lucra mais no 1º tri

Compartilhe esta publicação:

Por Aluisio Alves

Acessibilidade


SÃO PAULO (Reuters) – A Positivo teve leve alta do lucro no primeiro trimestre, uma vez que conseguiu compensar o esfriamento no mercado de eletrônicos para o varejo com fortes vendas para empresas e governos.

A fabricante de computadores e celulares e fornecedora de serviços de hardware anunciou nesta quarta-feira que o lucro ajustado de janeiro a março somou 28,45 milhões de reais, aumento de 6,9% sobre um ano antes.

A receita líquida da companhia no período atingiu 1,03 bilhão de reais, avanço de 52,5% ano a ano, impulsionada por venda de urnas eletrônicas e maiores entregas para o setor corporativo, além de produtos de meios de pagamento e aluguel de equipamentos. A previsão de receita de 5 bilhões de reais para 2022 foi mantida.

“Muitas empresas estão renovando seu parque tecnológico, que ficou ultrapassado durante o período da pandemia”, disse à Reuters o presidente-executivo da Positivo, Hélio Rotenberg.

Em outra frente, a empresa está computando uma receita de 430 milhões de reais referente ao fornecimento de urnas para as eleições deste ano. Em dezembro passado, a Positivo venceu um contrato para fornecer 176 mil urnas para o Tribunal Superior Eleitoral (TSE) para as eleições de 2024 e deve começar a computar as receitas desta encomenda na primeira metade de 2023.

Inscreva-se para receber a nossa newsletter
Ao fornecer seu e-mail, você concorda com a Política de Privacidade da Forbes Brasil.

Segundo Rotenberg, a maior demanda por governos e empresas deve continuar robusta, sendo suficiente para compensar a queda nas vendas de notebooks, tablets e celulares no varejo, após um pico durante a pandemia e agora esfriada pelo mix de inflação e juros altos, que comprimiu a renda das famílias.

No primeiro trimestre, as vendas da unidade de varejo da Positivo foram 69% menores do que um ano antes, enquanto as vendas para empresas dispararam 143% e, as para governos, 278%.

O resultado operacional da empresa medida pelo lucro antes de impostos, juros, depreciação e amortização (Ebitda) ajustado no trimestre totalizou 125,5 milhões de reais, aumento de 104,5%. A margem subiu 3,1 pontos percentuais, para 12,2%.

O lucro não foi ainda maior devido a uma piora no resultado financeiro, que passou de 17 milhões de reais positivos no primeiro trimestre de 2021 para 84,34 milhões no mesmo intervalo deste ano, refletindo aumento dos juros e variação cambial.

CADEIA DE SUPRIMENTOS

Rotenberg disse que a companhia tem enfrentado atrasos de cerca de 10 dias para receber suprimentos como semicondutores devido a atrasos causados por problemas na circulação de navios.

“Mas isso não está comprometendo nosso volume de produção”, afirmou o executivo. “Como o mercado varejista ficou muito estocado nos últimos meses e a demanda diminuiu um pouco, acabou ficando equilibrado.”

Ele disse ainda que a Positivo deve começar em breve a vender seu primeiro smartphone 5G, tecnologia que deve começar a vigorar em capitais do país a partir de julho.

(Edição Alberto Alerigi Jr.)

Compartilhe esta publicação: