Suzano e Sapore fecham parceria para levar renda ao Alto Tietê

Frutas e verduras da cooperativa de Salesópolis (SP), utilizadas pela cozinha industrial, viram refeições na fábrica de papel.

Redação
Compartilhe esta publicação:
ifruti-verdura-1Javier Zayas Photography/Gettyimages
Javier Zayas Photography/Gettyimages

Produtores da cooperativa de Salesópolis (SP) cultivam hortaliças e frutas que são consumidas pelos funcionários da Suzano

Acessibilidade


A Suzano Papel e Celulose, que foi capa da mais recente edição da revista Forbes por suas ações de ESG (ambiental, social e governança), mais a multinacional do setor de alimentos Sapore, com sede em Campinas (SP), se uniram a para estimular o desenvolvimento econômico das comunidades moradoras do Alto Tietê. Na região em torno do rio, formada pelos municípios de Arujá, Biritiba Mirim, Ferraz de Vasconcelos, Guararema, Itaquaquecetuba, Mogi das Cruzes, Poá, Salesópolis, Santa Isabel e Suzano, há 1,5 milhão de habitantes.

A Sapore, que atua na oferta de refeições para os mais variados segmentos, inclusive clientes corporativos, como é caso da Suzano, passou a ter entre os seus fornecedores a Camat (Cooperativa de Agricultura Mista do Alto Tietê), fundadas em 1991 por moradores de Salesópolis, sede da organização. Com isso, além de proporcionar o maior consumo de alimentos orgânicos por parte dos colaboradores da fábrica de papel, a parceria também fomenta a agricultura familiar. É um dos caminhos para o desenvolvimento econômico local, já que a iniciativa é uma das principais fontes de renda da comunidade.

LEIA TAMBÉM: A carne não vai baixar

Além da produção de frutas, legumes e verduras, a Camat reúne cerca de 200 pequenos e médios produtores de eucalipto, com produção estimada de 20 mil metros cúbicos por mês, vendidos às indústrias de papel e celulose, entre elas a Suzano, mais serrarias, construção civil e produção de carvão vegetal.

Já a Sapore compra os alimentos e também presta consultoria aos cooperados. “Orientamos os produtores desde o processo de higienização dos alimentos até a forma de embalar, a logística de entrega e preparação da documentação fiscal para que eles pudessem se credenciar como fornecedores profissionais”, diz Vanessa Veloso, diretora de operações da Sapore. Os cerca de 15 itens fornecidos pela CAMAT já representam cerca de 40% do que é utilizado na preparação das refeições produzidas para a Suzano e já há hortifrutis que vêm conquistando a preferência em relação a outros fornecedores. Cerca de 68% da couve-mineira consumida na feijoada ou na salada, por exemplo, vem das hortas da cooperativa. A Sapore prepara cerca de 1,3 milhão de refeições diariamente, consumidas em escolas, hospitais, facilities e indústrias.

Inscreva-se para receber a nossa newsletter
Ao fornecer seu e-mail, você concorda com a Política de Privacidade da Forbes Brasil.

Siga FORBES Brasil nas redes sociais:

Facebook
Twitter
Instagram
YouTube
LinkedIn

Siga Forbes Money no Telegram e tenha acesso a notícias do mercado financeiro em primeira mão

Baixe o app da Forbes Brasil na Play Store e na App Store.

Tenha também a Forbes no Google Notícias.

 

Compartilhe esta publicação: