Agtech parceira da Embrapa vai apresentar nanotecnologia verde na Europa

Pesquisa brasileira mostra biofertilizante que melhora o desempenho de lavouras sem gerar resíduos tóxicos.

Redação
Compartilhe esta publicação:
Igo Estrela_CNA
Igo Estrela_CNA

Pareceria público-privada levou à criação de um biofertilizante

Acessibilidade


A startup Krilltech, uma parceria entre a Embrapa (Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária) e a UnB (Universidade de Brasília), vai representar o Brasil na fase internacional do “Global Tech Innovator 2021”, promovido pela KPMG. O biofertilizante nanotecnológico resultante do trabalho conjunto e que melhora o desenvolvimento de diversas culturas será apresentado ao ecossistema global ao lado de tecnologias de 15 países, entre os dias 1º a 4 de novembro em Lisboa-Portugal.

Ao vencer a etapa nacional do evento, a agtech  assegurou estande e plataforma para exposição no Web Summit bem como credencial para apresentar seu negócio na conferência e em eventos da organizadora.  Na fase local, dez startups de diversos setores da economia concorreram com a Krilltech, que obteve boa avaliação ao apresentar o potencial da nanotecnologia verde.

LEIA TAMBÉM: O “ifood” do porco

Nascida para conferir escala às tecnologias desenvolvidas a partir do princípio ativo desenvolvido em 2018 e denominado Arbolina, a agtech já obteve em março deste ano o registro no Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa) para a unidade fabril, montada em Camaçari/BA, e já está faturando.

O júri da “Global Tech Innovator 2021”, composto por representantes da Microsoft e Editora Globo S/A, avaliou os quesitos disrupção e inovação, potencial de mercado, adoção do cliente, tração de mercado e marketing e potencial de longo prazo.

Inscreva-se para receber a nossa newsletter
Ao fornecer seu e-mail, você concorda com a Política de Privacidade da Forbes Brasil.

“A premiação é a coroação de um trabalho iniciado há mais de sete anos. Nossas tecnologias revolucionárias não teriam surgido sem a parceria com a Embrapa e a UnB”, diz Diego Stone, cofundador da Krilltech. Ele destaca o potencial impacto econômico da adoção em massa da tecnologia no PIB (Produto Interno Bruto) brasileiro que pode ser de 2%, e de 10% no PIB da agricultura, na ordem de R$ 150 bilhões, segundo projeta.

A diretora de Inovação e Tecnologia da Embrapa, Adriana Martin, avalia que a conquista de vaga na etapa internacional do evento reforça o potencial da inovação aberta e da cooperação entre instituições de pesquisa e agtechs. Martin destacou ainda os impactos econômicos para o setor produtivo e os benefícios sociais da tecnologia sustentável resultante da cooperação.

A dirigente parabenizou pesquisadores da Embrapa Hortaliças, Embrapa Recursos Genéticos e Biotecnologia e do Instituto de Química da UnB que integraram a equipe multidisciplinar que sintetizou e testou o princípio ativo – que tem dado origem a nanoprodutos que melhoram o desempenho de lavouras sem gerar resíduos tóxicos.

“A Krilltech chega com tecnologia de ponta para resolver um problema real, não só no Brasil, mas em qualquer lugar do mundo. A combinação Embrapa e Krilltech mostra parte do caminho que muitas outras startups do agro têm à disposição”, afirma  Jubran Coelho, presidente de Private Enterprise da KPMG.

Iniciativas de intercâmbio com ecossistemas mundiais abrem oportunidades para empresas nascentes, “pois o volume de investimento e de programas de aceleração estão a plena velocidade”, diz.  Coelho concorda com a diretora ao destacar que a inovação aberta é uma aliada para atender aos desafios contínuos de geração de valor econômico e socioambiental. Ele destaca a pujança do agro brasileiro e o crescimento de agtechs dedicadas ao setor.

Mais conquistas

Ao participar do Programa de Incubação Cruzada Virtual para Empreendimentos Brasileiros na África do Sul, a Krilltech ficou entre as quatro startups com melhor desempenho, sendo selecionada para expor o empreendimento no South Africa Innovation Summit, que foi realizado esta semana na Cidade do Cabo.

O Programa foi uma promoção conjunta entre a Embaixada do Brasil na África do Sul, a Associação Nacional de Entidades Promotoras de Empreendimentos Inovadores (Anprotec), o Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (Sebrae), o Departamento de Ciência e Inovação da África do Sul (DSI) e a Agência de Inovação Tecnológica da África do Sul (TIA), com o apoio do Programa de Diplomacia da Inovação do Ministério das Relações Exteriores do Brasil, segundo organizadores da iniciativa.

Emirados Árabes – A agtech também foi escolhida pela Apex-Brasil (Agência Brasileira de Promoção de Exportações e Investimentos) para representar o País na feira GITEX Technology Week 2021, que será realizada em Dubai em formato presencial, entre os dias 17 e 22 de outubro. A indicação das dez startups que participarão do evento foi feita pela organização, a partir das mais de 100 inscritas no processo seletivo.

Durante a feira – que integra a Missão de Internacionalização à GITEX Future Stars 2021  voltada a startups – serão apresentadas novidades das empresas dos Emirados Árabes e de todo o mundo. A Conferência reúne compradores dos mercados de tecnologia de crescimento mais rápido do mundo – Oriente Médio, Norte da África e Ásia. (Com Embrapa)

Siga FORBES Brasil nas redes sociais:

Facebook
Twitter
Instagram
YouTube
LinkedIn

Siga Forbes Money no Telegram e tenha acesso a notícias do mercado financeiro em primeira mão

Baixe o app da Forbes Brasil na Play Store e na App Store.

Tenha também a Forbes no Google Notícias.

Compartilhe esta publicação: