Chuvas previstas no centro-sul podem favorecer plantio de soja

A previsão é de que a frente fria que chegou ao RS provoque chuvas em SP, MS, MT, PR e RO nos próximos 15 dias .

Redação
Compartilhe esta publicação:
fotokostic/Getty Images
fotokostic/Getty Images

A previsão é de que a frente fria do RS provoque chuvas em SP, MS, MT, PR e RO nos próximos 15 dias e ajude produtores de soja

Acessibilidade


A frente fria que trouxe chuvas torrenciais ao Rio Grande do Sul nas últimas 24 horas segue avançando na direção norte do país, beneficiando com umidade Estados produtores de soja do centro-sul nos próximos dias, avaliou hoje (8) a Rural Clima.

Segundo o agrometeorologista Marco Antônio dos Santos, amanhã há previsão de chuvas para Paraná, extremo sul de Mato Grosso do Sul, sul e leste de São Paulo, além de possibilidade de pancadas em Rondônia e algumas áreas da faixa central e oeste de Mato Grosso.

VEJA TAMBÉM: Organização Internacional do Café vê déficit global do grão em 2021/22

Produtores de soja aguardam chuvas para iniciar os trabalhos de plantio da temporada 2021/22, visando uma boa janela de semeadura da segunda safra de milho, o que não foi possível no ciclo passado devido ao atraso pela seca.

Na próxima sexta-feira (10), a expectativa também é de chuvas em áreas de São Paulo, Mato Grosso do Sul, Rio de Janeiro e sul e sudoeste de Minas Gerais.

Inscreva-se para receber a nossa newsletter
Ao fornecer seu e-mail, você concorda com a Política de Privacidade da Forbes Brasil.

“Ou seja, aos poucos as chuvas vêm ocorrendo em toda a faixa centro-sul do Brasil”, declarou Santos, em boletim.

Ele disse ainda que a partir da próxima segunda-feira (13) uma nova frente fria deve provocar chuvas no Rio Grande do Sul, Santa Catarina, Paraná e até mesmo Mato Grosso do Sul e Mato Grosso

“Os próximos 15 dias serão marcados por chuvas em boa parte do centro-sul do Brasil, sendo que os maiores volumes serão observados no Rio Grande do Sul e Santa Catarina”, declarou.

VEJA TAMBÉM: Produção total de milho do Brasil em 2020/21 pode recuar em mais de 20 milhões de toneladas ante a safra passada

O Rio Grande do Sul é um grande produtor de soja do país, mas nesta época os agricultores focam o plantio de milho no Estado, considerando que o calendário da oleaginosa é mais tardio em áreas gaúchas.

Segundo ele, as previsões sinalizam ainda que, na virada de setembro para outubro, as chuvas “já voltam a ganhar intensidade sobre as áreas de Mato Grosso, Goiás e até mesmo Minas Gerais”.

“Ou seja, o plantio da nova safra de grãos poderá iniciar já na segunda quinzena de setembro“, afirmou.

A chegada de chuvas em Minas Gerais também é aguardada por produtores de café, uma vez que as precipitações podem disparar as primeiras floradas para a nova safra no maior Estado cafeeiro.

No caso dos produtores de trigo, Santos destacou que as precipitações torrenciais no Sul poderão causar alguns “estragos pontuais”, uma vez que o cereal está próximo de ser colhido, especialmente no Paraná.

VEJA TAMBÉM: Abiove expande Soja Plus para produtores de outras culturas

Nas últimas 24 horas, alguns municípios gaúchos registraram mais de 200 milímetros de chuvas.

Dados meteorológicos no terminal Eikon, da Refinitiv, indicam que os Estados do Sul deverão receber chuvas acima da média histórica no acumulado dos próximos dias até o dia 17 de setembro, enquanto outras áreas do centro-sul ainda verão precipitações abaixo da média no período, com exceção do norte de Mato Grosso. (Com Reuters)

Siga FORBES Brasil nas redes sociais:

Facebook
Twitter
Instagram
YouTube
LinkedIn

Siga Forbes Money no Telegram e tenha acesso a notícias do mercado financeiro em primeira mão

Baixe o app da Forbes Brasil na Play Store e na App Store.

Tenha também a Forbes no Google Notícias.

Compartilhe esta publicação: