Estudo indica a existência de 30L de urina em cada piscina

Especialistas utilizaram adoçante artificial para detectar a existência de xixi na água.

Redação
Compartilhe esta publicação:
piscina
piscina

Especialistas utilizaram adoçante artificial para detectar a existência de xixi na água de piscinas (iStock)

Acessibilidade


Todo mundo garante que não faz xixi na piscina, mas um estudo da University of Alberta chegou à conclusão de que isso é mentira. Os pesquisadores testaram duas piscinas: na primeira, com 416 litros, foram detectados 30 litros de urina, enquanto na segunda, bem maior – 833 litros – foram encontrados 75 litros de xixi.

Ao levar em consideração que uma pessoa faz, em média, 77,5 ml de xixi ao urinar, os volumes encontrados indicam que cerca de 400 pessoas podem ter urinado na primeira piscina e 1.000 na segunda.

LEIA MAIS: Mansão na Califórnia tem uma das maiores piscinas residenciais do mundo

Um artigo publicado na revista científica “Environmental Science and Technology Letters”, por Lindsay K. Jmaiff Blackstock, Wei Wang, Sai Vemula, Benkjamin T. Jaeger e Xing-Fang Li, descreve como o teste foi feito: foi usada uma dose de adoçante artificial comum para medir a quantidade de urina.

Além de ser anti-higiênico, urinar nas piscinas não é nada seguro. Ao mesmo tempo em que o cloro pode matar muitos microorganismos nocivos, ele não limpa a água por completo. Na verdade, a urina pode reagir com o cloro e produzir compostos tóxicos como cloreto de cianogênio (CNCl) e tricloramina (NCl3), substâncias que podem irritar os olhos e o pulmão.

Inscreva-se para receber a nossa newsletter
Ao fornecer seu e-mail, você concorda com a Política de Privacidade da Forbes Brasil.

E MAIS: Mulheres controlam apenas 30% da riqueza mundial, aponta estudo

A revista “Time” divulgou certa vez que o CNCI pode danificar os pulmões, o coração e o sistema nervoso central, enquanto o NCl3 é responsável por danos agudos no pulmão. Urinar na piscina é perigoso.

Compartilhe esta publicação: