Mitos e verdades sobre cuidados com a pele no verão, com Letícia Nanci

Getty Images
Aplicação de protetor solar: é importante saber o tipo ideal para sua pele, e passar de novo a cada duas horas (ou quando mergulhar)

Entramos nesta semana na reta final do verão. Mas até o dia 21 de março, quando chega o outono, altas temperaturas ainda nos aguardam e é bom não baixar a guarda nos cuidados com a pele. A dermatologista Leticia Nanci, colunista da Forbes, conta na entrevista a seguir sobre alguns mitos e verdades que rondam o tema.

LEIA TAMBÉM: Chegou a “Netflix fitness”

FORBES: Tratamentos com laser e produtos químicos no verão podem manchar a pele?
Leticia Nanci: O ideal é, antes de qualquer procedimento, certificar-se de que conseguirá passar pelo menos quinze dias sem se expor ao sol. Nessa época de calor é mais difícil, pois sempre há piscina, praia ou atividades ao livre na agenda. Mas tem que evitar. A pele fica ainda mais sensível depois de tratamentos, e pode manchar. Use protetor solar com FPS alto em todas as ocasiões.

F: Dá problema se depilar e pegar sol no mesmo dia?
LN: Sim, e não importa qual método você use. É necessário pelo menos uma semana entre a depilação e a exposição aos raios solares. Se depois de tirar os pelos ficar com a pele muito vermelha ou ardendo, recorra ao seu dermatologista. Há pomadas que melhoram o quadro e evitam as manchas.

Divulgação
A dermatologista Leticia Nanci, colunista da Forbes

F: Banho quente no verão pode? Tem gente que não consegue encarar a água gelada mesmo com calor de 40 graus.
LN: Esteja quente ou frio lá fora, a temperatura muito alta da água é sempre mais prejudicial pois compromete a barreira cutânea, uma proteção natural da nossa pele. Procure usar óleos de banho, não esfregar com bucha e sempre usar hidratante após o banho. Assim ameniza os efeitos do ressecamento.

F: Esfoliar a pele no verão deve ter frequência diferente da do inverno?
LN: Não. Independentemente da estação, a esfoliação pode ser feita uma vez por semana, sempre seguida da aplicação de um bom hidratante corporal. Em vez de bucha, use sabonete esfoliante e aplique-o com as mãos.

F: Como saber o FPS ideal para meu tom de pele?
LN: O tom de pele é classificado mundialmente pela Tabela de Fitzpatrcik, que considera a cor dos olhos, pele e cabelos, além do grau de bronzeamento de cada pele. Os fototipos mais baixos, ou seja, que têm menos proteção da melanina (pigmento que confere cor à pele) precisam de fotoprotetores mais altos, de 50 para cima. Quanto mais escura for a pele, mais proteção natural terá e, assim, o fotoprotetor pode ter FPS menor, como o 30, por exemplo. Porém, o que nos dá maior segurança quanto à proteção é a quantidade de vezes aplicadas, bem como a qualidade dessa aplicação. Recomenda-se passar o produto de forma homogênea na pele seca e limpa trinta minutos antes da exposição aos raios solares, e a passar de novo a cada duas horas ou a cada mergulho.

Getty Images
Se não for possível evitar o horário mais forte do sol (entre 10h e 16h), use roupas com FPS

F: Há alimentos que deixam a pele mais bonita no verão?
LN: Destacaria os alimentos ricos em betacaroteno (presente nas frutas e legumes de coloração amarela ou laranja e vegetais verdes-escuros), que apresentam propriedades antioxidantes benéficas à pele e ainda atuam prolongando o bronzeado. Também já podemos contar com nutricosméticos em cápsulas. São os fotoprotetores orais, que reforçam a proteção física do filtro solar, e evitam a vermelhidão inicial, dando um bronzeado mais uniforme. Mas não use nada sem antes consultar o seu dermatologista.

F: É verdade que a quantidade de água recomendável tem a ver com o peso da pessoa?
LN: Independentemente do peso corporal, o ideal é a ingestão diária de pelo menos dois litros de água, especialmente no verão. Ela hidrata de dentro para fora, colaborando para uma pele com mais elasticidade, menos rugas e mais viço. Além disso, a água ajuda o organismo a eliminar as impurezas e melhora a circulação sanguínea.

F: Ainda existe isso de evitar o sol em determinados horários ou os protetores solares já garantem a exposição segura em qualquer momento do dia?
LN: Recomenda-se a exposição solar direta antes das 10h e após ‪as 16h‬. Entre 10h e 16h, horário de pico do sol, deve-se reforçar o uso do protetor solar com chapéus e viseiras de tecido anti UV e óculos escuros (que previnem a ocorrência de catarata e lesões na córnea) e procurar ficar à sombra de barracas, dando sempre preferência para as de algodão ou lona, que absorvem até 80% da radiação UV.

Copyright Forbes Brasil. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução, total ou parcial, do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, impresso ou digital, sem prévia autorização, por escrito, da Forbes Brasil ([email protected]).