Evino adquire Grand Cru e forma maior grupo varejista de vinhos importados do Brasil

Com a intenção de ampliar sua atuação virtual e física, juntas as empresas esperam faturar cerca de R$ 700 milhões em 2021 .

Redação
Compartilhe esta publicação:
Jussara Martins/Evino
Jussara Martins/Evino

Da esquerda para a direita, Marcos Leal e Ari Gorenstein (co-fundadores da Evino) e Alexandre Bratt (CEO da Grand Cru)

Acessibilidade


O e-commerce de vinhos Evino anunciou hoje (26) a aquisição da Grand Cru, uma das maiores importadoras da bebida da América Latina. As duas empresas formarão assim o maior grupo varejista de vinhos importados do país, aumentando o portfólio e a rentabilidade das companhias. Segundo comunicado à imprensa, a expectativa é que elas faturem combinadamente cerca de R$ 700 milhões em 2021.

Além de expandir a atuação nacional, a aquisição da Grand Cru pela Evino ampliará a capilaridade de atendimento aos clientes B2C e B2B, virtual e presencialmente. “Identificamos uma complementaridade enorme entre os negócios da Evino e da Grand Cru. Percebemos que a combinação das empresas poderá trazer aos consumidores uma proposta de valor e experiência omnichannel única”, diz Ari Gorenstein, co-CEO da Evino.

VEJA TAMBÉM: Casa Chandon junta bar, restaurante e experiências imersivas em São Paulo

Em transação sem valores divulgados, a Grand Cru deixa de fazer parte do portfólio do Aqua Capital, empresa de ações com investimentos nas áreas de alimentação e agronegócio. “Essa união é tão forte que está se formando um dos maiores players de vinho do mundo, com uma presença multicanal”, avalia Agustin Blanco, managing director do fundo.

Mesmo com a compra de 100% da Grand Cru por parte da Evino, a intenção é manter ambas as marcas separadamente, “pois constituem modelos de negócios complementares, tanto em termos de portfólio, como em canais de expertise e segmentação de clientes”, anunciaram as empresas. A expectativa é ampliar cada vez a atuação online e offline – só a Grand Cru já possui 110 lojas no país e, até o fim do ano, serão mais 17 pontos.

Inscreva-se para receber a nossa newsletter
Ao fornecer seu e-mail, você concorda com a Política de Privacidade da Forbes Brasil.

A intenção de aquisição passará ainda por aprovação do Cade (Conselho Administrativo de Defesa Econômica), que deve concluir o processo entre 30 e 45 dias.

Compartilhe esta publicação: