Hotel magnífico, Rosewood São Paulo ocupa área de antiga maternidade

Inauguração oficial em janeiro marca a transformação de um edifício histórico em um empreendimento moderno e sofisticado.

Irene S. Levine
Compartilhe esta publicação:
Reprodução/Forbes
Rosewood Hotels & Resorts/Divulgação

Design de interiores assinado por Philippe Starck

Acessibilidade


A Rosewood Hotels & Resorts anunciou a tão esperada inauguração de seu primeiro estabelecimento na América do Sul. O Rosewood São Paulo está programado para abrir as portas oficialmente em 10 de janeiro de 2022, transformando um edifício histórico que abrigou a maternidade Condessa Filomena Matarazzo em um hotel moderno e sofisticado.

Mais de 500 mil bebês nasceram na maternidade antes de ela fechar, há mais de 20 anos. Assim, muitas pessoas da cidade nasceram lá ou conhecem alguém que nasceu.

LEIA TAMBÉM: Hotéis de luxo para se hospedar nos 8 destinos tendência de 2022

O empresário francês Alexandre Allard (conhecido por seu envolvimento no renascimento da casa Balmain) descobriu a propriedade abandonada e a adquiriu em 2011. O visionário incorporador imobiliário a viu como uma “Bela Adormecida”, rica em história local e cheia de promessas para o futuro.

Reverenciado pelos paulistanos como o lugar onde a vida começou para muita gente, o imóvel se encaixou perfeitamente na filosofia de “Sentido de Lugar” da Rosewood.

Inscreva-se para receber a nossa newsletter
Ao fornecer seu e-mail, você concorda com a Política de Privacidade da Forbes Brasil.
Reprodução/Forbes
Cristiano Mascaroi/Rosewood Hotels & Resorts/Divulgação

Antiga maternidade Condessa Filomena Matarazzo

Um hotel contemporâneo rico em história

Com localização central, na movimentada Avenida Paulista, os 160 quartos e suítes diferenciados do Rosewood São Paulo contam com interiores deslumbrantes com design de Philippe Starck.

Tanto as acomodações elegantemente decoradas do hotel quanto as 100 Residências Rosewood particulares estão distribuídas pela antiga maternidade e por uma inovadora torre com jardim vertical projetada pelo arquiteto Jean Nouvel, vencedor do Prêmio Pritzker.

Reprodução/Forbes
Rosewood Hotels & Resorts/Divulgação

Torre do hotel, projetada pelo arquiteto Jean Nouvel

As comodidades do hotel incluem seis restaurantes e bares internos e externos, duas piscinas (uma na área com paisagismo e outra na cobertura) e uma academia, sendo que um centro de bem-estar integrativo Asaya, marca registrada da Rosewood, tem a inauguração prevista para mais adiante em 2022.

Entre os restaurantes estão o Le Jardin, que serve café da manhã, almoço e jantar no saguão e no jardim do hotel, o Blaise, que oferece culinária franco-suíça no edifício histórico da maternidade, e o Taraz, que fica de frente para a praça arborizada com oliveiras e cuja especialidade é a cozinha sul-americana no forno a lenha. Uma piscina com bar na cobertura, apenas para adultos, proporciona uma vista espetacular da cidade.

Comandada pelo chef executivo Felipe Rodrigues, ao lado do padeiro chefe Felipe Oliveira, a equipe culinária conta com várias mulheres de destaque, como a sous chef executiva Rachel Codreanschi, a chef confeiteira Saiko Isawa, e a chefe de mixologia Ana Paula Ulrich.

O hotel também receberá eventos particulares, casamentos e congressos.

Vizinhança vibrante

O hotel é a âncora da nova Cidade Matarazzo, um elegante destino de uso misto voltado à arte e à cultura, próximo ao Parque Matarazzo e a poucas quadras do Masp (Museu de Arte de São Paulo).

Reprodução/Forbes
Getty Images

Masp, marca da Avenida Paulista e de São Paulo

Nove outros edifícios históricos centenários adjacentes ao hotel, com as fachadas meticulosamente preservadas, abrigarão um cinema, uma sala de concertos, um teatro, um salão de exposições multidisciplinar, uma megastore de moda, restaurantes requintados e outros espaços criativos.

Outro destaque deste ambicioso projeto de restauração foi o renascimento e a reabertura da antiga Capela de Santa Luzia. Consagrada em novembro pelo Arcebispo de São Paulo, ela já realiza eventos e serviços religiosos regulares e celebrações de fé. Ela exibe afrescos internos preservados e uma rosácea recuperada (que nunca havia sido instalada), agora com vitrais de Vik Muniz inspirados na história de Santa Luzia.

Mais do que uma tendência

“Transformar edifícios históricos em hotéis não é apenas uma tendência, mas uma solução para preservar e restaurar prédios públicos, como hospitais, ou edifícios religiosos”, comenta o arquiteto Lionel Scharly, do Scharly Designer Studio de Nova York (sem ligação com o projeto da Rosewood).

Reprodução/Forbes
Cristiano Mascaroi/Rosewood Hotels & Resorts/Divulgação

Fachada do antigo hospital

“Para designers e arquitetos, esses projetos interessantes trazem novas perspectivas para a criatividade e a inovação”, diz ele. O novo Rosewood São Paulo permitirá que os hóspedes voltem no tempo e vivenciem São Paulo de uma posição verdadeiramente única e histórica.

Compartilhe esta publicação: