Raro esqueleto de dinossauro que inspirou o velociraptor de 'Jurassic Park' vai a leilão

A casa de leilões Christie's espera que o esqueleto seja vendido por até US$ 6 milhões (R$ 29,5 milhões).

Carlie Porterfield
Compartilhe esta publicação:
Christie's
Christie's

“Hector” é o fóssil de dinossauro da espécie deinonico mais completo já encontrado

Acessibilidade


O esqueleto mais completo de um deinonico, uma espécie de dinossauro carnívoro, mais conhecido como o velociraptor de “Jurassic Park”, estará à venda este mês em um leilão histórico. Trata-se de um dos fósseis de dinossauros mais raros.

Hector“, em homenagem a um dos guerreiros troianos na “Ilíada”, é um esqueleto com aproximadamente 126 ossos que datam de cerca de 108 milhões a 115 milhões de anos atrás. Segundo a casa de leilões Christie’s, ele foi escavado em Wolf Creek Canyon, em Montana, no oeste dos Estados Unidos, em 2014.

A Christie’s disse que será a primeira vez que um fóssil dessa espécie aparece em um leilão e que espera que o esqueleto seja vendido por um valor entre US$ 4 milhões (R$ 19,6 milhões) e US$ 6 milhões (R$ 29,5 milhões).

Fósseis completos de deinonicos estão entre os fósseis de dinossauros mais raros. “Hector” é o único espécime completo em mãos particulares – há apenas outros dois conjuntos, que estão guardados em coleções de museus, de acordo com a Christie’s.

O esqueleto ficará exposto no showroom da casa de leilões em Nova York antes de ser leiloado em 12 de maio, marcando a única exibição pública do espécime depois de fazer parte de uma exposição em Copenhague, na Dinamarca, de 2020 a 2021.

Inscreva-se para receber a nossa newsletter
Ao fornecer seu e-mail, você concorda com a Política de Privacidade da Forbes Brasil.

Os dinossauros deinonicos apresentados em “Jurassic Park” foram chamados de velociraptors nos filmes, que na verdade é o nome de uma espécie completamente diferente. Michael Crichton, que escreveu os romances nos quais a franquia se baseia, disse que foi atraído pela natureza dramática do nome. Na realidade, os velociraptors eram menos agressivos e provavelmente do tamanho de perus, de acordo com a Christie’s.

A demanda por fósseis de dinossauros entre colecionadores particulares tem crescido nos últimos anos. Um esqueleto de tiranossauro rex foi vendido por US$ 31,8 milhões (R$ 156,4 milhões) em 2020, quebrando o recorde de fóssil de dinossauro mais caro já leiloado. O esqueleto, apelidado de “Stan”, ficará em um novo museu em Abu Dhabi, segundo a National Geographic. 

Celebridades como Nicolas Cage e Leonardo DiCaprio supostamente também compraram ossos pré-históricos. No entanto, essas compras são controversas. Alguns especialistas da área dizem que os fósseis adquiridos por colecionadores particulares são impedidos de serem vistos pelo público e estudados por pesquisadores, e surgiram preocupações sobre o mercado de dinossauros alimentar o tráfico e o roubo de espécimes. 

Cage concordou em devolver o crânio de U$ 276 mil (R$ 1,3 milhão) de um Tarbossauro, pelo qual ele teria derrotado DiCaprio em uma batalha de lances em um leilão, depois que foi revelado que o esqueleto havia sido roubado anteriormente.

Forbes abre inscrições para lista Under 30 2022

Compartilhe esta publicação: