Novo tratamento com gel se mostra promissor no combate ao câncer de pele

Medicamento atua bloqueando os processos que permitem a divisão das células cancerosas

Victoria Forster
Compartilhe esta publicação:
Reprodução/Forbes
Reprodução/Forbes

Um novo tratamento com gel especial para o carcinoma basocelular se mostrou promissor nos primeiros testes

Acessibilidade


Um tratamento com gel inovador se mostrou promissor no início do tratamento do tipo mais comum de câncer de pele. Os novos resultados de um ensaio clínico foram publicados na revista “Clinical Cancer Research” e investigaram o gel tópico que continha o remetinostato.

O carcinoma basocelular tem uma chance muito boa de sobrevivência se detectado precocemente e, normalmente, é tratado por cirurgia, mas isso pode vir com várias implicações agudas e crônicas para a saúde, então os pesquisadores esperavam encontrar uma nova estratégia de tratamento que evitasse muitos desses efeitos colaterais.

LEIA TAMBÉM: Anvisa recebe pedido de autorização para estudos de vacina contra Covid desenvolvida pela UFRJ

“Embora a cirurgia seja muito eficaz para remover o tumor basocelular, ela pode causar cicatrizes, sangramento ou infecção”, disse Kavita Sarin, professora associada de dermatologia da Universidade de Stanford, na Califórnia, e autora sênior do estudo . “Além disso, os indivíduos que desenvolvem numerosos tumores podem ser submetidos a cirurgias repetidas, levando a severa fadiga cirúrgica, desconforto e desfiguração”, acrescentou Kavita.

O remetinostate é um tipo de medicamento denominado HDACi – ou inibidor da histona deacetilase, em português – e atua bloqueando os processos celulares que permitem a divisão das células cancerosas. HDACi é uma classe promissora de medicamentos contra o câncer sob investigação para o tratamento de vários tipos diferentes de câncer, mas quando administrados sistemicamente às pessoas, podem causar muitos efeitos tóxicos e colaterais. No entanto, ao aplicar a droga topicamente em forma de gel, os pesquisadores esperavam evitar esses efeitos colaterais sistêmicos.

Inscreva-se para receber a nossa newsletter
Ao fornecer seu e-mail, você concorda com a Política de Privacidade da Forbes Brasil.

O gel foi testado em 30 pessoas com carcinoma basocelular, algumas com múltiplos tumores de pele. Os participantes do ensaio aplicaram o gel em seus tumores três vezes por dia durante um total de seis semanas e, após isso, qualquer tumor remanescente foi removido por meio de cirurgia e analisado pelos pesquisadores para avaliar a eficácia do tratamento.

Dos 33 tumores analisados, mais de dois terços mostraram, pelo menos, alguma resposta ao gel com, aproximadamente, metade dos tumores desaparecendo completamente. Em média, o diâmetro dos tumores diminuiu 62% e nenhum dos pacientes relatou quaisquer efeitos colaterais adversos significativos do tratamento.

“Embora mais pesquisas sejam necessárias, nossos resultados sugerem que o remetinostato pode ser uma alternativa segura e promissora para o tratamento cirúrgico do carcinoma basocelular devido à alta taxa de respostas completas que observamos”, disse Kavita.

No entanto, o estudo não foi concebido para avaliar o impacto a longo prazo do tratamento com gel e a professora enfatiza que mais estudos precisam ser feitos para determinar se as respostas iniciais promissoras ao tratamento são sustentáveis.

VEJA MAIS: Qual a relação entre a Covid-19 e a queda capilar?

“Esperamos poder conduzir um estudo de durabilidade para determinar se os tumores podem voltar a crescer após a interrupção do tratamento. Se uma terapia deve substituir o tratamento cirúrgico, ela precisa induzir não apenas uma resposta completa, mas também durável”, disse Kavita.

Apesar de novos tratamentos promissores, como acontece com muitos tipos de câncer de pele, a melhor maneira de combater o carcinoma basocelular é evitar o seu desenvolvimento.

“Intervenções simples como protetor solar, chapéu de aba larga, roupas de proteção solar e evitar a luz solar direta são altamente eficazes na redução do risco de desenvolver câncer basocelular”, disse Kavita.

 

 

Siga FORBES Brasil nas redes sociais:

Facebook
Twitter
Instagram
YouTube
LinkedIn

Siga Forbes Money no Telegram e tenha acesso a notícias do mercado financeiro em primeira mão

Baixe o app da Forbes Brasil na Play Store e na App Store.

Tenha também a Forbes no Google Notícias.

Compartilhe esta publicação: