Tribunal rejeita renovar prisão e Ghosn pode sair

Divulgação
A Procuradoria do Distrito de Tóquio recorreu contra a decisão do tribunal

Em uma medida inesperada tomada hoje (20), um tribunal de Tóquio decidiu não prorrogar a prisão de Carlos Ghosn, o que significa que o ex-presidente do conselho de administração da Nissan pode deixar em breve a prisão onde está detido por suspeita de fraude financeira. O Tribunal do Distrito de Tóquio também decidiu não prorrogar a detenção de Greg Kelly, ex-diretor da Nissan que foi preso junto com Ghosn em 19 de novembro. Advogados de ambos os executivos não estavam disponíveis de imediato para comentar.

LEIA MAIS: Carlos Ghosn queria recuperar dinheiro e obras de arte no RJ

A Procuradoria do Distrito de Tóquio recorreu contra a decisão do tribunal de não prorrogar a prisão de Ghosn e Kelly.

Ghosn liderava a Nissan, a Mitsubishi Motors e a francesa Renault. Ele foi indiciado em 10 de dezembro por supostamente omitir cerca de metade de seu rendimento durante um período de cinco anos a partir de 2010, e teve a prisão renovada no mesmo dia por suspostamente cometer o mesmo crime nos últimos três anos. O último período de 10 dias de detenção terminou hoje.

Já está no disponível no aplicativo ForbesBrasil a edição 64 com a lista Under30.
Baixe o app na Play Store ou na App Store.

Copyright Forbes Brasil. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução, total ou parcial, do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, impresso ou digital, sem prévia autorização, por escrito, da Forbes Brasil ([email protected]).