Guerra comercial entre Airbus e Boeing beneficiaria fabricante chinesa

Reuters
EUA e Europa estão em uma disputa de anos sobre reclamações mútuas de ajuda ilegal à Airbus e à Boeing

Uma escalada na briga de subsídios envolvendo a fabricante de aviões europeia Airbus e a rival norte-americana Boeing seria sem sentido e serviria apenas para beneficiar um concorrente chinês emergente, disse hoje (10) o ministro das Finanças da França.

LEIA MAIS: Corte na produção do 737 MAX atinge ações da Boeing

A ameaça do presidente Donald Trump nesta semana de impor tarifas sobre produtos da União Europeia, no valor de US$ 11 bilhões, incluindo aeronaves comerciais, aprofundou uma longa disputa entre os subsídios transatlânticos.

Os Estados Unidos e a Europa estão em uma disputa de anos sobre reclamações mútuas de ajuda ilegal à Airbus e à Boeing para ajudá-las a obter vantagem no negócio de aeronaves.

“Um confronto entre a Boeing e a Airbus seria absurdo simplesmente porque nossas duas indústrias estão totalmente interligadas, nós dependemos uma da outra por vários componentes”, disse Bruno Le Maire em declarações no Instituto Francês de Relações Exteriores.

“Uma guerra comercial entre a Boeing e a Airbus só vai jogar tudo nas mãos da COMAC”, acrescentou ele, referindo-se à chinesa Commercial Aircraft Corp of China Ltd.

Le Maire disse que a Europa tem os meios para retaliar qualquer sanção dos EUA aos produtos da UE, mas acrescentou: “É infinitamente preferível que, junto com nossos aliados dos EUA, encontremos o caminho para um compromisso”.

Siga FORBES Brasil nas redes sociais:

Facebook
Twitter
Instagram
YouTube

Copyright Forbes Brasil. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução, total ou parcial, do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, impresso ou digital, sem prévia autorização, por escrito, da Forbes Brasil ([email protected]om.br).