Ibovespa sobe 1,9% após articulação de Bolsonaro

Getty Images
Presidente encontrou-se com líderes de partido para falar da Previdência

A bolsa paulista fechou em forte alta hoje (4), impulsionada por perspectivas otimistas sobre o andamento da reforma da Previdência depois que o presidente Jair Bolsonaro se encontrou com líderes de partidos no Planalto na tentativa de integrar uma coalizão governista.

LEIA MAIS: Ibovespa fecha em queda

Índice de referência do mercado acionário brasileiro, o Ibovespa subiu 1,93%, a 96.313,06 pontos. O volume financeiro somou R$ 13,13 bilhões. Na máxima da sessão, o principal índice de ações da B3 subiu 2%. No pior momento, recuou a 94.333,95 pontos.

“É uma combinação de dois fatores, uma releitura da queda do dia anterior e um otimismo com a tentativa de articulação por parte do governo”, afirmou Rafael Bevilacqua, estrategista chefe da consultoria independente de investimentos Levante.

Ontem (3), o índice encerrou em queda de 0,94%, a 94.491,48 pontos, em reação de cautela de agentes do mercado diante de discussões intensas sobre a reforma da Previdência em audiência pública na Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) com o ministro da Economia, Paulo Guedes.

Bolsonaro se reuniu com presidentes de partidos nesta quinta-feira e diminuiu a tensão, mas não conseguiu dos líderes partidários a promessa de apoio incondicional à proposta de reforma da Previdência e nem aumentar a base de apoio do governo. “O mercado entende que ainda há muito o que acontecer, mas segue otimista”, acrescentou Bevilacqua.

O Ibovespa também recebeu apoio de um cenário externo mais positivo, na esteira da redução dos temores sobre o crescimento global e de sinais de avanço nas negociações comerciais entre Estados Unidos e China.

Siga FORBES Brasil nas redes sociais:

Facebook
Twitter
Instagram
YouTube

Copyright Forbes Brasil. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução, total ou parcial, do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, impresso ou digital, sem prévia autorização, por escrito, da Forbes Brasil ([email protected]).