Dólar tem leves variações ante o real

iStock
Às 10:18, a moeda norte-americana avançava 0,05%, a R$ 3,8794 na venda

O dólar tinha leves variações ante o real hoje (10), com o apetite por risco no exterior sendo minimizado internamente por cautela com a cena política local ligada à operação Lava Jato e ao ministro da Justiça, Sergio Moro.

LEIA MAIS: Dólar cai 1,2% ante real

O mercado também aguarda a apresentação do parecer do relator sobre a reforma da Previdência na comissão especial.

Às 10:18, a moeda norte-americana avançava 0,05%, a R$ 3,8794 na venda. Na sexta-feira (7), o dólar fechou com variação negativa de 0,13%, a R$ 3,8775 na venda. Na semana passada, recuou 1,20%. O dólar futuro rondava a estabilidade.

A tensão política volta a rondar o governo nesta segunda-feira, após uma série de reportagens do site “Intercept Brasil” revelarem, na véspera, uma suposta colaboração entre o então juiz Sergio Moro e o coordenador da operação Lava Jato no Ministério Público Federal, Deltan Dallagnol.

“Internamente o que está pesando não é nem essa incerteza política de reforma da Previdência, da votação orçamentária, é a questão dos desdobramentos que não sabemos quais serão em relação à conversa do Moro”, afirmou a economista da CM Capital Markets, Camila Abdelmalack.

O mercado também traz no radar a expectativa pela apresentação do parecer do relator Samuel Moreira (PSDB-SP) sobre a reforma da Previdência na comissão especial, o que deve ocorrer na quinta-feira (13), segundo reportaram jornais.

“Vai ficar em segundo plano se correr conforme o cronograma. Se isso de repente atrasar ou houver algum desdobramento negativo, potencializa a situação ruim”, explicou a economista.

VEJA TAMBÉM: Dólar recua ante o real

No exterior, havia bom humor entre agentes financeiros após Estados Unidos e México chegarem a um acordo na sexta-feira para evitar uma guerra tarifária, com o México concordando em expandir rapidamente um polêmico programa de asilo e enviar forças de segurança para conter o fluxo de imigrantes ilegais da América Central.

A tensão política na cena doméstica, segundo Camila, faz com que o real não seja tão beneficiado quanto outros pares emergentes pelo ambiente mais propício para ativos de risco pelos desdobramentos comerciais entre EUA e México.

Já com relação à disputa entre EUA e China, há expectativa de que ocorra algum avanço mais concreto entre os dois países na reunião de líderes mundiais do G20 no fim do mês, quando os presidentes dos dois países devem se encontrar.

O BC realiza nesta sessão leilão de até 5,05 mil swaps cambiais tradicionais, correspondentes à venda futura de dólares, para rolagem do vencimento de julho, no total de US$ 10,089 bilhões.

Siga FORBES Brasil nas redes sociais:

Facebook
Twitter
Instagram
YouTube

Copyright Forbes Brasil. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução, total ou parcial, do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, impresso ou digital, sem prévia autorização, por escrito, da Forbes Brasil ([email protected]).