Bunge reverte perdas e tem lucro no 2° tri

Reprodução/Forbes
A partir de um ganho não realizado por sua participação na empresa de hambúrgueres Beyond Meat e melhores resultados em suas operações na América do Sul, a Bunge reverteu perdas e registrou lucro no segundo trimestre

A negociante de commodities agrícolas Bunge registrou lucro no segundo trimestre, revertendo prejuízo visto no mesmo período do ano anterior, ajudada por um ganho não realizado por sua participação na empresa de hambúrgueres Beyond Meat e melhores resultados em suas operações na América do Sul.

VEJA MAIS: Bunge tem prejuízo trimestral com disputa EUA-China

Os ganhos foram parcialmente compensados por uma fraca demanda de exportação devido à tensão comercial entre Estados Unidos e China e ao clima severo nos Estados Unidos, que impactou o processamento e transporte de grãos e interrompeu o plantio de primavera.

A empresa com sede em White Plains, Nova York, manteve inalteradas suas previsões anteriores de lucros, com os resultados de seu segmento de agronegócio, o maior da Bunge em termos de receita, visto como menor em 2019 devido à incerteza sobre culturas plantadas mais tardiamente nos EUA e à guerra comercial entre EUA e China.

A Bunge e suas rivais no agronegócio, incluindo Archer Daniels Midland, Cargill e Louis Dreyfus, têm cortado custos e reestruturado operações para navegar através de mares particularmente agitados no setor.

Anos de excesso de oferta nos mercados de grãos derrubaram preços e minaram oportunidades de comercialização para as empresas, conhecidas como o quarteto ABCD dos grãos, antes que tensões comerciais prejudicassem também a demanda e redesenhassem as cadeias de fornecimento global.

Os problemas climáticos nos Estados Unidos aumentaram a pressão, já que os comerciantes de grãos enfrentaram paralisações nas fábricas de processamento, atrasos nos transportes ferroviários e por barcaças e outras incertezas à medida que enchentes históricas assolaram o centro dos Estados Unidos.

O resultado trimestral da Bunge superou as expectativas de Wall Street, com o investimento da empresa na Beyond Meat continuando a ter boa performance. As ações da empresa de carne alternativa subiram mais de 780% desde o IPO de maio.

O lucro líquido distribuível entre acionistas foi de US$ 205 milhões, ou US$ 1,43 por ação no segundo trimestre encerrado em 30 de junho, comparado a uma perda de US$ 21 milhões, ou US$ 0,15 por ação, um ano antes.

Os ganhos ajustados de US$ 0,61 por ação, excluindo um ganho líquido não realizado de US$ 0,90 por ação do investimento na Beyond Meat, superaram a estimativa de consenso de US$ 0,34 por ação, segundo dados da Refinitiv.

As vendas caíram para US$ 10,10 bilhões, de US$ 12,15 bilhões, abaixo da estimativa de consenso, de US$ 12,16 bilhões.

A unidade de agronegócio da Bunge registrou um lucro maior no trimestre. Embora a incerteza da guerra comercial tenha permanecido um obstáculo para o segmento, os resultados de comercialização e distribuição melhoraram em comparação com o ano anterior.

Os resultados em alimentos e ingredientes e com fertilizantes melhoraram, enquanto os de açúcar e bioenergia registraram uma perda menor do que há um ano.

Siga FORBES Brasil nas redes sociais:

Facebook

Twitter

Instagram

YouTube

LinkedIn

Copyright Forbes Brasil. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução, total ou parcial, do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, impresso ou digital, sem prévia autorização, por escrito, da Forbes Brasil ([email protected]).