Facebook tem recurso negado em processo de violação

Reuters
O processo começou em 2015, quando usuários de Illinois acusaram o Facebook de violar o Biometric Information Privacy Act

Um tribunal federal de apelações rejeitou nesta quinta-feira o recurso do Facebook para desfazer uma ação coletiva alegando que a empresa coletou e armazenou dados biométricos ilegalmente de milhões de usuários sem consentimento.

VEJA TAMBÉM: Cofundador do Facebook fala contra a rede social

A decisão do tribunal expõe o Facebook a bilhões de dólares em possíveis danos para usuários de Illinois que abriram a ação.

“Esses dados biométricos são tão sensíveis que, se forem comprometidos, simplesmente não há recurso”, disse Shawn

Williams, advogado dos requerentes na ação. “Não é como um cartão de segurança social ou número de cartão de crédito, onde você pode alterar o número. Você não pode mudar o seu rosto.”

O Facebook não respondeu de imediato a pedidos de comentários.

O processo começou em 2015, quando usuários de Illinois acusaram o Facebook de violar o Biometric Information Privacy Act, usando a tecnologia de reconhecimento facial para coletar dados biométricos.

E AINDA: Google e Facebook monitoram a atividade de usuários em sites pornográficos

O Facebook supostamente conseguiu isso por meio do recurso “sugestões de tags”, que permitia aos usuários reconhecerem e marcarem seus amigos do Facebook a partir de fotos enviadas.

Siga FORBES Brasil nas redes sociais:

Facebook
Twitter
Instagram
YouTube
LinkedIn

Tenha também a Forbes no Google Notícias.

Copyright Forbes Brasil. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução, total ou parcial, do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, impresso ou digital, sem prévia autorização, por escrito, da Forbes Brasil ([email protected]).