Dólar fecha semana em leve queda contra o real

Gettyimages-DonFarrall
As negociações comerciais entre Estados Unidos e China mantém mercado na incerteza

O dólar encerrou em leve queda contra o real hoje (27), com agentes do mercado evitando grandes movimentações diante de incertezas no cenário externo, mas a moeda terminou a semana com leve alta após dias marcados por ruídos políticos nos Estados Unidos e incertezas comerciais.

O dólar à vista teve queda de 0,13%, a R$ 4,1563 na venda. Na B3, o dólar futuro tinha desvalorização de 0,35%, a R$ 4,1560.

Na semana, a moeda norte-americana ainda apresentou leve alta de 0,07% contra o real, depois de uma forte valorização de 1,6% na semana anterior, que, segundo analistas, se deve ao fato do mercado estar buscando o nível de R$ 4,15 como referência e realizar correções quando a moeda se distancia desse patamar.

“A sessão não teve um grande driver local, deixando os mercados à deriva do exterior”, afirmou Silvio Campos Neto, economista da Tendências Consultoria.

LEIA MAIS: Após desastre do WeWork, mercado trava IPOs de empresas que não dão lucro

O cenário no geral continua de grande incerteza, principalmente quanto às negociações comerciais entre Estados Unidos e China, com noticiário desta sexta-feira apontando que o governo dos EUA está considerando a possibilidade de deslistar empresas chinesas das bolsas de valores dos EUA, segundo uma fonte, no que seria uma escalada das tensões entre os dois países.

“Temos várias possibilidades para a próxima semana. Há chance de que uma melhora no cenário comercial impulsione a busca por ativos mais arriscados, mas também existe a possibilidade de uma piora nos ruídos e de uma pressão a mais no mercado”, acrescentou Silvio Campos Neto.

Do lado doméstico, os mercados de câmbio seguirão atentos à votação da reforma da Previdência na Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) do Senado na terça-feira, com expectativa de que a votação da reforma em primeiro turno no plenário do Senado aconteça no mesmo dia.

 

Siga FORBES Brasil nas redes sociais:

Facebook
Twitter
Instagram
YouTube
LinkedIn

Tenha também a Forbes no Google Notícias

Copyright Forbes Brasil. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução, total ou parcial, do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, impresso ou digital, sem prévia autorização, por escrito, da Forbes Brasil ([email protected]).