Dólar recua contra o real em sessão volátil marcada por ajustes

Dólar/ReutersConnectNachoDoce
Discurso de Donald Trump sobre negociações com a China resulta em queda do valor do dólar nesta sexta-feira (20)

O dólar encerrou em queda contra o real hoje (20), depois de oscilar entre altas e baixas na sessão, com agentes do mercado ajustando posições ao fim de uma semana agitada marcada por reuniões de diversos bancos centrais globais.

O dólar à vista teve queda de 0,26%, a R$ 4,1535 na venda. Na mínima da sessão, a moeda chegou a R$ 4,1478, enquanto na máxima tocou R$ 4,1845. Na semana, o dólar acumulou alta de 1,60%.

LEIA MAIS: Ibovespa avança e atinge maior fechamento semanal da história

“Todos os mercados operaram sem uma tendência clara na sessão. Os investidores procuraram ajustar suas posições depois de uma semana com pressões de todos os lados”, afirmou Alvaro Bandeira, economista-chefe do Banco digital Modalmais.

Depois de subir em um primeiro momento nesta sexta-feira, a moeda norte-americana perdeu força depois que o presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, adotou tom mais amistoso sobre as negociações comerciais com a China, afirmando que os dois países estavam “fazendo muito progresso”, após Washington retirar tarifas sobre mais de 400 produtos chineses.

Na semana, no entanto, o dólar acumulou alta na esteira do salto da moeda depois que o Banco Central, na quarta-feira, cortou a taxa básica de juros em 0,50 ponto percentual, a 5,50% ao ano, sinalizando que mais afrouxamento está por vir.

Segundo operadores, a decisão do BC resultou em uma fuga de capital estrangeiro, especialmente de fundos especulativos, em busca de melhor remuneração em outros mercados.

Siga FORBES Brasil nas redes sociais:

Facebook
Twitter
Instagram
YouTube
LinkedIn

Tenha também a Forbes no Google Notícias.

Copyright Forbes Brasil. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução, total ou parcial, do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, impresso ou digital, sem prévia autorização, por escrito, da Forbes Brasil ([email protected]).