Dólar sobe ante real com maior aversão a risco

iStock
Às 10:32, a moeda norte-americana avançava 0,65%, a R$ 4,1824 na venda

O dólar subia contra o real hoje (1), primeiro dia de negociações do último trimestre do ano, com o cenário externo mais averso a moedas emergentes em geral em meio a preocupações sobre a saúde da economia global e ainda monitorando a votação da reforma da Previdência no Senado.

LEIA MAIS: Dólar se mantém acima de R$ 4 por um mês inteiro pela 1ª vez

Às 10:32, a moeda norte-americana avançava 0,65%, a R$ 4,1824 na venda. Na véspera, o dólar fechou perto da estabilidade com oscilação positiva de 0,05%, a R$ 4,1555 na venda. No terceiro trimestre, a cotação saltou 8,19%, maior alta para o período desde 2015, quando disparou mais de 33%. Na B3, o dólar futuro tinha variação positiva de 0,72%, a R$ 4,191.

“Há uma certa cautela no mercado diante das preocupações com a saúde da economia global como um todo. Existe incertezas sobre as negociações comerciais, sobre o Brexit e uma porção de outras coisas que adicionam um sentimento de maior prudência”, afirmou Alessandro Faganello, operador da Advanced Corretora.

A China e os EUA devem retomar as negociações comerciais em alto nível na próxima semana, em Washington. As expectativas são de que os países avancem na elaboração de um acordo comercial, mas a notícia de que o governo dos EUA está considerando excluir empresas chinesas das bolsas de valores norte-americanas ainda ecoava, apesar de autoridades negarem as afirmações.

Adicionando ainda mais cautela ao mercado, a Organização Mundial do Comércio (OMC) cortou sua previsão para o crescimento do comércio global neste ano em mais da metade nesta terça-feira, e disse que novas rodadas de tarifas e retaliações, uma economia em desaceleração e um Brexit desordenado podem reduzir ainda mais as projeções.

As moedas emergentes pares do real, como lira turca, rand sul-africano e peso mexicano, recuavam contra a moeda norte-americana, com o dólar se valorizando frente à maior parte de suas divisas.

VEJA TAMBÉM: Dólar ronda estabilidade na abertura

No cenário doméstico, agentes do mercado também seguem atentos à votação da reforma da Previdência na Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) do Senado nesta terça-feira, com expectativa de que a votação da reforma em primeiro turno no plenário da Casa aconteça em seguida.

Nesta sessão, o BC vendeu todos os US$ 525 milhões ofertados em moeda física e negociou ainda todos os 10.500 contratos de swap cambial reverso ofertados.

Siga FORBES Brasil nas redes sociais:

Facebook
Twitter
Instagram
YouTube
LinkedIn

Tenha também a Forbes no Google Notícias.

Copyright Forbes Brasil. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução, total ou parcial, do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, impresso ou digital, sem prévia autorização, por escrito, da Forbes Brasil ([email protected]).