Mercado de café registra poucas vendas no Brasil em outubro

José Miguel Gomez/Reuters
Cafeicultores estão apreensivos com as altas temperaturas e poucas chuvas

As negociações envolvendo o café arábica no mercado brasileiro tiveram lentidão em outubro, reflexo da forte retração vendedora, em meio a preocupações quanto ao clima no país para a próxima safra, avaliou ontem (22) o Centro de Estudos Avançados em Economia Aplicada (Cepea).

LEIA MAIS: Café mais caro do mundo chega a SP: R$ 1.220 o quilo

Após a abertura das floradas em meados de setembro, muitos cafeicultores se mostraram apreensivos com as altas temperaturas e poucas chuvas registradas nas semanas seguintes, disse o centro de estudos da Esalq/USP em relatório.

“Nas regiões da Mogiana (SP), Zona da Mata (MG), Sul e Cerrado Mineiro, mais precipitações são essenciais para o pegamento das flores”, ressaltou a análise do Cepea.

As floradas determinarão o tamanho da próxima safra, que será a de alta do ciclo bianual do arábica no Brasil, maior produtor e exportador global.

“A continuidade das precipitações, entretanto, ainda é necessária para o bom desenvolvimento dos chumbinhos [de café].”

VEJA TAMBÉM: Brasileira cria plataforma para facilitar exportação de café

Com produtores afastados do mercado, o volume total comercializado da safra 2019/2020 segue baixo em outubro, tendo pouca variação em relação ao mês anterior, disse o Cepea.

Na Zona da Mata, cerca de 50% a 65% dos grãos também já foram adquiridos, acrescentou o órgão, que apontou a comercialização entre 40% e 60% do total da safra 2019/2020 na Mogiana, Sul e Cerrado Mineiro.

Na área de café robusta, produtores também estão atentos ao clima. A maior parte das flores da safra 2020/2021 já teve o pegamento no Espírito Santo e em Rondônia e, agora, os cafezais estão em fase de desenvolvimento do chumbinho.

No Espírito Santo, segundo o Cepea, a quantidade de café da safra 2019/2020 vendida até o dia 18 deste mês segue entre 40% e 55% do total. Em Rondônia, entre 70% e 80% foi negociado.

Siga FORBES Brasil nas redes sociais:

Facebook
Twitter
Instagram
YouTube
LinkedIn

Tenha também a Forbes no Google Notícias.

Copyright Forbes Brasil. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução, total ou parcial, do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, impresso ou digital, sem prévia autorização, por escrito, da Forbes Brasil ([email protected]).