Cerca de US$ 400 mi em tokens da Ripple são vinculados a atividade ilegal

ReutersDadoRuvis
Os relatórios foram divulgados hoje (20) pela Elliptic, uma fornecedora de sistemas de administração de risco para a indústria de criptomoedas

Cerca de US$ 400 milhões em tokens XRP, a moeda digital da rede de pagamentos Ripple, estão vinculados a transações ilegais, segundo relatórios divulgados hoje (20) pela londrina Elliptic, uma fornecedora de sistemas de administração de risco para a indústria de criptomoedas.

A XRP, um token usado para pagamentos, atualmente tem um valor de mercado de cerca de US$ 10,98 bilhões, com base em números da coinmarketcap.com.

Tom Robinson, cientista-chefe e cofundador da Elliptic, afirmou à Reuters que US$ 400 milhões em transações ilícitas de XRP foram identificados, o que representa menos de 0,2% de todas as transações com a moeda já ocorridas.

Comparando com o bitcoin, um estudo anterior da Elliptic mostrou que compras realizadas na dark web representam cerca de 0,5% de todas as transações com a moeda, disse Robinson.

VEJA TAMBÉM: Mercado global de drones agita players brasileiros

A Elliptic revelou o relatório sobre a XRP em lançamento do que descreveu como o primeiro sistema mundial de monitoramento de transações com a moeda.

A empresa norte-americana de análise forense de blockchain CipherTrace afirmou em relatório divulgado em agosto que roubos de criptomoedas e fraudes podem ultrapassar mais de US$ 4,3 bilhões neste ano.

“Temos uma equipe em Londres que vasculha a dark web em busca de qualquer uso de criptomoedas. Eles começaram a fazer isso com a XRP”, disse Robinson.

“O tipo de atividade que encontraram são principalmente esquemas fraudulentos como pirâmides, e roubos. Uma categoria menor é venda de detalhes de cartões de crédito.”

A pesquisa da Elliptic também mostrou que a companhia não vê muita “atividade no mercado negro” com a XRP, por causa da imagem da moeda de ferramenta para pagamentos.

“A XRP está sendo considerada para uso como ferramenta por instituições financeiras”, disse Robinson. “Criminosos provavelmente não querem ser associados a qualquer mecanismo relacionado a este uso.”

Os criminosos no geral preferem usar bitcoin por causa da liquidez da moeda, disse Robinson.

Siga FORBES Brasil nas redes sociais:

Facebook
Twitter
Instagram
YouTube
LinkedIn

Baixe o app da Forbes Brasil na Play Store e na App Store.

Tenha também a Forbes no Google Notícias.

Copyright Forbes Brasil. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução, total ou parcial, do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, impresso ou digital, sem prévia autorização, por escrito, da Forbes Brasil ([email protected]).