Joint venture Boeing Embraer é batizada de Defense

Roosevelt Cassio/Reuters
Boeing Embraer-Defense pretende desenvolver novos mercados para a aeronave multimissão C-390 Millennium

A Embraer informou hoje (18) que sua joint venture com a Boeing, que pretende desenvolver novos mercados para a aeronave multimissão C-390 Millennium, será chamada Boeing Embraer-Defense.

“A organização estará operacional somente depois que a joint venture das empresas receber as aprovações dos órgãos e cumprir com as condições para a conclusão das negociações”, afirmou a Embraer, em comunicado.

LEIA MAIS: Oferta da Boeing para unidade da Embraer enfrenta investigação da UE

A fabricante brasileira de aviões terá 51% de participação na joint venture, enquanto a Boeing deterá os 49% restantes.

Embraer assina pedidos firmes com Air Peace e CIAF Leasing

A Embraer assinou pedidos firmes com a Air Peace e a CIAF Leasing, em contratos avaliados em US$ 374 milhões no total, segundo comunicados nesta segunda-feira, afirmando que os novos aviões serão adicionados à carteira de pedidos (backlog) da companhia do quarto trimestre de 2019.

A Air Peace, maior companhia aérea da Nigéria e da África Ocidental, assinou pedido firme para três jatos E195-E2 adicionais, conforme comunicado da Embraer, afirmando que o contrato está avaliado em US$ 212,6 milhões, com base nos preços atuais de lista.

A encomenda, anunciada no Dubai Airshow 2019, confirma direitos de compra do contrato original assinado em abril deste ano, segundo a fabricante brasileira de aeronaves.

Já o pedido firme para três aeronaves E190 assinado com a CIAF Leasing, companhia sediada no Cairo, está avaliado em US$ 161,4 milhões, também com base nos atuais preços de lista.

Siga FORBES Brasil nas redes sociais:

Facebook
Twitter
Instagram
YouTube
LinkedIn

Tenha também a Forbes no Google Notícias.

Copyright Forbes Brasil. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução, total ou parcial, do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, impresso ou digital, sem prévia autorização, por escrito, da Forbes Brasil ([email protected]).