Fintech Cora recebe aporte de US$ 10 milhões

iStock
A fintech pretende usar os recursos da captação para aquisição de clientes

A Cora, startup de serviços financeiros para pequenos e médios negócios, anunciou na quarta-feira (4) que recebeu um aporte de US$ 10 milhões, numa captação liderado pelos fundos de capital de risco Kaszek e Ribbit.

LEIA MAIS: Fintech Noverde fará captação de R$ 100 milhões

Em fase pré-operacional, a fintech pretende usar os recursos da captação para aquisição de clientes a partir de fevereiro de 2020, o que pode envolver testes de concessão de crédito.

Os sócios do negócio, Igor Senra e Leonardo Mendes, criadores da empresa de meio de pagamento Moip, afirmam que o objetivo da Cora é preencher uma lacuna de mercado na prestação de um conjunto de serviços financeiros destinado a ajudar na expansão dos pequenos empreendimento.

O alvo são empresas com faturamento anual de até R$ 4,8 milhões, com serviços como conta digital e serviços bancários como transferências, pagamentos de conta e emissão de boletos.

“Nossa oportunidade está no pouco foco e no pouco preparo dos pequenos para essa área. Esse é o gargalo que a Cora se propõe a resolver”, afirmou Senra em email à Reuters.

Para microempreendedores, eles avaliam que as soluções no mercado para pessoas físicas já atendem bem esse público.

A expectativa dos sócios é de que a expansão sustentada dos pequenos negócios no país, com apoio da infraestrutura financeira, permitirá que em 10 anos o PIB per capta do Brasil suba de US$ 15 mil para US$ 21 mil.

A Cora está contratando 60 profissionais, incluindo engenheiros de Software e designers de produto.

Siga FORBES Brasil nas redes sociais:

Facebook
Twitter
Instagram
YouTube
LinkedIn

Baixe o app da Forbes Brasil na Play Store e na App Store.

Tenha também a Forbes no Google Notícias.

Copyright Forbes Brasil. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução, total ou parcial, do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, impresso ou digital, sem prévia autorização, por escrito, da Forbes Brasil ([email protected]).