EUA acreditam que avião ucraniano foi derrubado acidentalmente pelo Irã

Nazanin Tabatabaee/ WANA (West Asia News Agency) via REUTERS
Nazanin Tabatabaee/ WANA (West Asia News Agency) via REUTERS

Avião de passageiros da Ucrânia que caiu no Irã matando todas as 176 pessoas a bordo

Um avião de passageiros da Ucrânia que caiu no Irã logo após a decolagem, matando todas as 176 pessoas a bordo, provavelmente foi derrubado acidentalmente pelas defesas aéreas iranianas, disseram autoridades dos Estados Unidos hoje (9), e o presidente dos EUA, Donald Trump, afirmou estar com um péssimo sentimento sobre o desastre.

O chefe da aviação civil iraniana, no entanto, negou essa possibilidade e a classificou de rumor ilógico. De acordo com chefe da Organização de Aviação Civil do Irã, Ali Abedzadeh, é impossível que o avião tenha sido abatido por um míssil.

Uma autoridade dos EUA, no entanto, disse que satélites do país detectaram o lançamento de dois mísseis pouco antes da queda do avião, seguido por evidências de uma explosão. Duas autoridades disseram que os EUA acreditam que a queda do avião foi acidental.

LEIA MAIS: Acidente de avião no Irã mata 176 e levanta questões sobre motivos da queda

Em entrevista a repórteres, Trump disse que o acidente pode ter sido resultado de um erro, acrescentando que estava com um sentimento terrível sobre a queda do avião, mas sem oferecer qualquer evidência.

“Alguém pode ter cometido um erro”, disse Trump a repórteres na Casa Branca, acrescentando que tinha suspeitas sobre o acidente, mas sem dar detalhes.

A queda ocorreu horas depois de o Irã realizar ataques com mísseis contra forças lideradas pelos Estados Unidos no Iraque, em retaliação pelo assassinato de um general iraniano, provocando a especulação de que o avião poderia ter sido atingido.

Enquanto isso, a Ucrânia apresentou quatro possíveis cenários para explicar o acidente, incluindo um ataque com mísseis e terrorismo, e investigadores iranianos disseram que o avião estava em chamas no ar antes de cair.

Segundo o governo ucraniano, investigadores do país queriam vasculhar o local do acidente ocorrido ontem (8) a sudoeste de Teerã para buscar possíveis detritos de um míssil fabricado na Rússia usado pelas Forças Armadas do Irã.

Um relatório inicial da organização de aviação civil do Irã disse que o avião sofreu um problema técnico não especificado.

O Boeing 737-800 da Ukraine International Airlines, que fazia um voo de Teerã para Kiev transportando principalmente iranianos e iranianos-canadenses, caiu pouco depois de decolar do aeroporto Imã Khomeini, em Teerã, matando todas as 176 pessoas a bordo.

VEJA TAMBÉM: Vice-premiê da China assinará acordo comercial com os EUA na próxima semana

Um relatório iraniano sobre o acidente citou testemunhas no solo e em uma aeronave que estava voando em alta altitude dizendo que o avião estava pegando fogo enquanto estava no ar.

O documento afirma que o avião, que havia passado por manutenção programada na segunda-feira (6), sofreu um problema técnico logo após a decolagem e começou a ir em direção a um aeroporto próximo antes de cair. O relatório diz que não houve comunicação de rádio do piloto e que a aeronave desapareceu dos radares a 2.440 metros de altitude.

Siga FORBES Brasil nas redes sociais:

Facebook
Twitter
Instagram
YouTube
LinkedIn

Baixe o app da Forbes Brasil na Play Store e na App Store.

Tenha também a Forbes no Google Notícias.

Copyright Forbes Brasil. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução, total ou parcial, do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, impresso ou digital, sem prévia autorização, por escrito, da Forbes Brasil ([email protected]).