Google estuda usar informação de localização de usuários para desacelerar coronavírus

GettyImages/ Guillermo Legaria Schweizer
A ideia do governo norte-americano é usar os dados de localização das grandes marcas de tecnologia para combater a pandemia de coronavírus

O Google está explorando formas de usar informação de localização dos usuários para retardar o avanço do coronavírus, por exemplo, por meio da determinação da efetividade do distanciamento social.

O senador dos Estados Unidos Ed Markey, que defende há tempos o direito das pessoas à privacidade, pediu cautela nos esforços do governo de se aliar a grandes companhias de tecnologia para acompanhar o ritmo do coronavírus.

LEIA MAIS: Fed abre linhas de swap em dólar com 9 BCs, prevê até US$ 60 bilhões para Brasil

Em carta para Michael Kratsios, o secretário de Tecnologia da Casa Branca, Markey citou reportagem do “Washington Post” que afirma que o governo Trump teve discussões com Amazon, Apple, Facebook, Google, IBM e outras companhias de tecnologia para discutir a possibilidade de usar dados de localização dos smartphones como ferramenta de pesquisa sobre a disseminação da epidemia nos EUA.

“Precisamos de garantias de que a coleta e processamento destes tipos de informação, mesmo que de forma anônima, não representem riscos à segurança e privacidade dos indivíduos”, disse Markey.

O Facebook afirmou que não há acordo para compartilhar dados de localização de usuários com o governo norte-americano.

LEIA TAMBÉM: Volkswagen e Volvo no Paraná dão férias de até 20 dias a partir de 31 de março

A Apple comentou que não monitora a localização dos usuários. A empresa citou que participou de reuniões da força-tarefa sobre coronavírus na Casa Branca, mas que é focada em telemedicina e ensino à distância.

Siga FORBES Brasil nas redes sociais:

Facebook
Twitter
Instagram
YouTube
LinkedIn

Baixe o app da Forbes Brasil na Play Store e na App Store.

Tenha também a Forbes no Google Notícias.

Copyright Forbes Brasil. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução, total ou parcial, do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, impresso ou digital, sem prévia autorização, por escrito, da Forbes Brasil ([email protected]).