Canadá, Portugal e Suécia: melhores países para turistas LGBTQ+

GettyImages
O índice classificou 197 países com base em 14 critérios, que incluem leis antidiscriminatórias, casamento e parceria civil, adoção, direitos transgêneros e perseguição.

Os países mais amigáveis ​​para os viajantes LGBTQ+ são Canadá, Portugal e Suécia, segundo um índice recém-divulgado sobre viagens gays. Os três países terminaram empatados no topo do ranking, e outros 13 – quase todos na Europa – ficaram com a 4ª posição, mostrou o Spartacus Gay Travel Index 2019. O ranking é de autoria do Spartacus International Gay Guide, publicação com sede em Berlim, na Alemanha, que oferece dicas para viajantes gays em sua plataforma na web e no aplicativo para dispositivo móvel.

VEJA TAMBÉM: Lições dos países que estão perto da igualdade de gênero

O índice classificou 197 países com base em 14 critérios, que incluem leis antidiscriminatórias, casamento e parceria civil, adoção, direitos transgêneros e perseguição.

Os Estados Unidos ficou apenas com o 47º lugar, posição compartilhada com outros nove países: Bermudas, Bósnia-Herzegovina, Chile, Costa Rica, Croácia, Cuba, Macau, Seicheles e Tailândia. O país apresenta queda constante no ranking. Em 2017, ocupava o 34º lugar. No ano seguinte, caiu para 39º, quando o Spartacus International Gay Guide apontou as “tentativas de reduzir os direitos dos transgêneros nas forças armadas” do presidente Donald Trump como um fator importante para o declínio.

A ascensão de Portugal ao topo da lista neste ano foi um grande salto em relação ao ano passado, quando o país ocupou a 27ª posição. Portugal, Canadá e Suécia receberam a nota máxima na classificação de 2019 por suas leis antidiscriminatórias.

Entre 2018 e 2019, o Brasil perdeu 13 posições no ranking – saiu da 55ª para a 68ª posição. Segundo a publicação, o motivo da queda foi o aumento da hostilidade dos moradores locais. Junto ao Brasil, outros 14 países ocupam a 68ª posição: Albânia, Aruba, Benim, Bulgária, China/Hong Kong, Curaçao, Japão, Kosovo, Letônia, Mônaco, Montenegro, Sérvia, Ilha de São Martinho e Vietnã.

A nação menos amigável é a Chechênia, que ocupa a 197ª posição no ranking. Segundo o Spartacus International Gay Guide, os cidadãos vivem “perseguições organizadas pelo Estado e assassinatos de homossexuais”. Somália (196ª), Arábia Saudita (194ª), Irã (194ª) e Iêmen (193ª) também aparecem nas últimas colocações. Todos eles receberam notas negativas por assassinatos e sentenças de morte envolvendo a comunidade LGBTQ+.

E AINDA: 15 países em que os funcionários mais aproveitam suas férias

Veja, na galeria de imagens a seguir, os 10 países mais receptivos a turistas LGBTQ+, assim como Brasil e Estados Unidos.

  • 68º. Brasil

    Nota: 0

  • 47º. EUA

    Nota: 2

  • 4º. Reino Unido

    Nota: 9

  • 4º. Espanha

    Nota: 9

  • 4º. Reunião (departamento ultramarino francês)

    Nota: 9

  • 4º. Noruega

    Nota: 9

  • 4º. Nova Zelândia

    Nota: 9

  • 4º. Holanda

    Nota:

  • 4º. Malta

    Nota: 9

  • 4º. Luxemburgo

    Nota: 9

  • 4º. Islândia

    Nota: 9

  • 4º. Finlândia

    Nota: 9

  • 4º. Dinamarca

    Nota: 9

  • 4º. Bélgica

    Nota: 9

  • 4º. Áustria

    Nota: 9

  • 1º. Suécia

    Nota: 10

  • 1º. Portugal

    Nota: 10

  • 1º. Canadá

    Nota: 10

68º. Brasil

Nota: 0

Siga FORBES Brasil nas redes sociais:

Forbes no Facebook: http://fb.com/forbesbrasil
Forbes no Twitter: http://twitter.com/forbesbr
Forbes no Instagram: http://instagram.com/forbesbr

Copyright Forbes Brasil. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução, total ou parcial, do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, impresso ou digital, sem prévia autorização, por escrito, da Forbes Brasil ([email protected]).