As 10 mulheres mais ricas do mundo

GettyImages/ Rick T. Wilking
Alice Walton retomou o posto de mulher mais rica do mundo em 2020

Com mercados turbulentos e tempos ainda mais tumultuados, pouco mais da metade das 234 mulheres da nova lista da Forbes dos Bilionários do Mundo têm fortunas que valem menos do que um ano atrás. Alice Walton, no entanto, contrariou essa tendência. Herdeira de parte da fortuna do Walmart, ela é a mulher mais rica do mundo neste ano, melhorando sua posição de 2019, quando foi a segunda mais rica. Ela vale cerca de US$ 54,4 bilhões, US$ 10 bilhões a mais que um ano atrás. Alice Walton conquistou o lugar que era da herdeira da L’Oréal, Françoise Bettencourt Meyers, a segunda mulher mais rica da lista de 2020. A Forbes usou os preços das ações e as taxas de câmbio de 18 de março de 2020 para calcular os patrimônios líquidos.

Entre as mulheres no topo da lista, a herdeira da BMW Susanne Klatten foi que sofreu um dos maiores impactos em seu patrimônio líquido em meio à queda do mercado de ações induzida pelo coronavírus. As ações da BMW caíram mais de um terço desde janeiro, ajudando a diminuir a fortuna de Klatten para US$ 16,8 bilhões, US$ 4 bilhões a menos que um ano atrás. Nos EUA, a fortuna da bilionária Elaine Wynn, de Las Vegas, diminuiu 33% em relação ao ano passado, com as ações da Wynn Resorts caindo drasticamente nos últimos meses. Mas outras, como Zhong Huijuan, presidente da farmacêutica chinesa Hansoh Pharmaceutical, valem significativamente mais do que valiam um ano atrás. Em junho de 2019, a Hansoh levantou US$ 1 bilhão em sua oferta pública inicial de Hong Kong, e as ações subiram mais de 25% desde então. Zhong vale US$ 14,6 bilhões.

LEIA MAIS: Quem são os brasileiros no novo ranking dos Bilionários do Mundo

Neste ano, 234 mulheres entraram na lista, contra 244 no ano passado. Como um grupo, as mulheres na lista valem US$ 927,4 bilhões. Apesar da recente instabilidade econômica, elas estão coletivamente US$ 29,4 bilhões mais ricas que no ano passado. Outras sete mulheres neste ano compartilham suas fortunas com marido, filho ou irmão. Esse número era de nove em 2019.

Dezenove mulheres são novas na lista. Destas, a recém-chegada mais rica é Julia Koch, que herdou a fortuna de seu marido, David Koch, depois que ele morreu em agosto de 2019. Outra recém-chegada notável: MacKenzie Bezos, que recebeu sua fortuna depois de finalizar o divórcio com o homem mais rico do mundo, Jeff Bezos.

Outra novidade da lista é Neerja Sethi, cofundadora da empresa de consultoria e terceirização de TI Syntel com seu marido, Bharat Desai. Sethi é uma das 67 mulheres bilionárias que construíram a própria riqueza que apareceram na lista deste ano (no ano passado, o ranking tinha 68 mulheres self-made). Juntando-se a ela está Qian Ying, que cofundou a Muyuan Foods, listada em Shenzhen, com seu marido Qin Yinglin. As ações da Muyuan Foods, criadora e processadora de porcos, quase triplicaram no ano passado, elevando seu patrimônio líquido a US$ 1,4 bilhão.

Veja a seguir as dez mulheres mais ricas de 2020:

Alice Walton
Fortuna: US$ 54,4 bilhões
Nacionalidade: Estados Unidos
Fonte da fortuna: Walmart

A única filha do fundador do Walmart, Sam Walton, recuperou o título de mulher mais rica do mundo, depois de perder o lugar para a herdeira da L’Oréal, Françoise Bettencourt Meyers, em 2019. Apesar da recente turbulência do mercado, Sam Walton viu sua fortuna aumentar 23% desde o ano passado. A bilionária, que não participa do Walmart, está ajudando a liderar um programa na fundação da família Walton, que emitirá US$ 300 milhões em títulos para ajudar as escolas de caridade a investir e renovar instalações.

Françoise Bettencourt Meyers e família
Fortuna: US$ 48,9 bilhões
Nacionalidade: França
Fonte da fortuna: L’Oréal

A neta do fundador da L’Oréal, Eugène Schueller, tornou-se a herdeira da empresa em 2017, depois que sua mãe, Liliane Bettencourt, então a mulher mais rica do mundo, morreu aos 94 anos. A fortuna de Françoise Bettencourt Meyers caiu US$ 400 milhões desde a lista do ano passado, em meio a pandemia do coronavírus, já que as ações da gigante de cosméticos caíram 12% nas duas primeiras semanas de março. Em março, a empresa anunciou que suas fábricas começariam a produzir desinfetantes para as mãos para atender às necessidades das autoridades sanitárias francesas e europeias.

Julia Koch e família
Fortuna: US$ 38,2 bilhões
Nacionalidade: Estados Unidos
Fonte da fortuna: Indústrias Koch

Nova na lista deste ano, Koch se juntou ao grupo dos bilionários depois que ela e seus três filhos herdaram uma participação de 42% na Koch Industries de seu marido, David, que morreu em agosto de 2019, aos 79 anos. Nativa de Iowa, ela se mudou para Nova York na década de 1980 e trabalhou como assistente do estilista Adolfo.

Mackenzie Bezos
Fortuna: US$ 36 bilhões
Nacionalidade: Estados Unidos
Fonte da fortuna: Amazon

Mackenzie Bezos faz sua estreia na lista depois de finalizar seu divórcio com o fundador da Amazon, Jeff Bezos, em julho de 2019. A escritora de romances premiada recebeu um quarto das ações de seu ex-marido na gigante do comércio eletrônico. MacKenzie assinou o Giving Pledge, prometendo doar pelo menos metade de sua fortuna, em maio de 2019.

Jacqueline Mars
Fortuna: US$ 24,7 bilhões
Nacionalidade: Estados Unidos
Fonte da fortuna: Doces, alimentos para animais

Jacqueline Mars recebeu um terço da empresa de doces de US$ 35 bilhões (em vendas) conhecida pelas barras M&Ms e Milky Way, assim como seu irmão John. As quatro filhas do seu falecido irmão Forrest Jr são donas do resto da Mars, que também tem um braço de alimentos para animais e assistência veterinária. Jacqueline Mars trabalhou na empresa por quase 20 anos e atuou no conselho até 2016.

LEIA TAMBÉM: Os 25 maiores bilionários do mundo em 2020

Yang Huiyan e família
Fortuna: US$ 20,3 bilhões
Nacionalidade: China
Fonte da fortuna: Imobiliárias

Aos 38 anos, ela tem 57% em ações e pertence ao conselho da Country Garden incorporadora imobiliária listada em Hong Kong, que seu pai fundou e preside. Em resposta à pandemia de coronavírus, a empresa instalou estações robóticas e automáticas de atendimento em Wuhan (onde o vírus se originou) para alimentar os trabalhadores médicos chineses.

Susanne Klatten
Fortuna: US$ 16,8 bilhões
Nacionalidade: Alemanha
Fonte da fortuna: BMW, farmacêuticas

Herdeira da montadora BMW, Klatten viu seu patrimônio líquido cair 20% no ano passado. Como as vendas de carros desaceleraram em meio à pandemia, as ações da BMW caíram 24% na primeira quinzena de março. Klatten também é a única proprietária e vice-presidente da Altana, uma empresa farmacêutica e de especialidades químicas.

Laurene Powell Jobs e família
Fortuna: US$ 16,4 bilhões
Nacionalidade: Estados Unidos
Fonte da fortuna: Apple, Disney

Viúva do falecido cofundador da Apple, Steve Jobs, Laurene chefia a Emerson Collective, uma empresa híbrida de filantropia e investimento que ela fundou em 2016. Sobre sua riqueza, ela disse ao “New York Times” em fevereiro: “Não estou interessada em construções de patrimônio herdadas, e meus filhos sabem disso. Steve não estava interessado nisso. Se eu vivo o suficiente, esse dinheiro termina comigo”. Sua fortuna caiu US$ 2,2 bilhões em relação ao ano passado, em parte devido a uma queda no preço das ações da Disney, mas também porque a Forbes teve uma melhor visão sobre seu total de ativos.

Zhong Huijuan
Fortuna: US$ 14,6 bilhões
Nacionalidade: China
Fonte da fortuna: Farmacêuticas

Zhong preside a farmacêutica chinesa Hansoh Pharmaceutical, que produz medicamentos oncológicos, psicoativos, antidiabéticos e outros. As ações subiram 10% desde o início de janeiro até meados de março, quando o coronavírus era mais prevalente em seu país de origem. Zhong é casada com Sun Piaoyang, presidente bilionário da Jiangsu Hengrui Medicine.

E TAMBÉM: Os 10 bilionários mais jovens de 2020

Gina Rinehart
Fortuna: US$ 13,1 bilhões
Nacionalidade: Austrália
Fonte da fortuna: Mineração

Gina, a pessoa mais rica da Austrália, construiu sua fortuna com minério de ferro. Filha do famoso explorador de minério de ferro Lang Hancock, ela preside a empresa de mineração e agricultura Hancock Prospecting Group desde 1992. A fortuna de Gina caiu US$ 2 bilhões no ano passado, com a pandemia de coronavírus diminuindo os valores no setor de minério de ferro.

Siga FORBES Brasil nas redes sociais:

Facebook
Twitter
Instagram
YouTube
LinkedIn

Baixe o app da Forbes Brasil na Play Store e na App Store.

Tenha também a Forbes no Google Notícias.

Copyright Forbes Brasil. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução, total ou parcial, do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, impresso ou digital, sem prévia autorização, por escrito, da Forbes Brasil ([email protected]).