Os 20 times mais valiosos da NFL em 2020

A liga de futebol americano dos EUA mostrou resiliência financeira mesmo com as dificuldades impostas pela Covid-19

Mike Ozanian e Kurt Badenhausen
Compartilhe esta publicação:
 Tom Pennington/Getty Images
Tom Pennington/Getty Images

Dallas Cowboys e New York Giants estão entre os 3 times mais valiosos da NFL em 2020

Acessibilidade


A abertura da temporada da NFL na noite de hoje (10), entre Kansas City Chiefs e Houston Texans, é um evento de vitrine para o campeão mundial Chiefs, o primeiro jogo de Patrick Mahomes, o MVP do Super Bowl LIV com um novo contrato de US$ 500 milhões.

Leia mais: Messi está perto de ser o próximo atleta a atingir ganhos de US$ 1 bilhão na carreira

Apesar das expectativas, Mahomes lançará passes na frente de uma plateia pequena, de cerca de 16 mil pessoas, muito aquém da capacidade de 76 mil lugares do Arrowhead Stadium, mas bem melhor do que muitas equipes, incluindo Los Angeles Rams e Chargers e New York Giants e Jets, que vão jogar em estádios vazios devido a preocupações com a Covid-19.

É o tipo de começo que pode destruir a maioria das empresas. Mas a NFL é diferente da maioria das empresas.

O valor médio das franquias chega a US$ 3 bilhões pela primeira vez neste ano, de acordo com o ranking da Forbes dos times mais valiosos da liga, enquanto quatro de seus 32 times (Dallas Cowboys, New England Patriots, New York Giants e Los Angeles Rams) valem pelo menos US$ 4 bilhões.

Inscreva-se para receber a nossa newsletter
Ao fornecer seu e-mail, você concorda com a Política de Privacidade da Forbes Brasil.

Eles podem agradecer a capacidade incomparável do futebol americano para gerar lucros, a melhor entre as ligas esportivas dos EUA.

“Existem duas coisas principais com que você se preocupa quando está comprando uma equipe: quanto eu tenho que pagar para ter a equipe e quanto dinheiro posso tirar da equipe (dos lucros) ou ter que colocar na equipe (para cobrir perdas) no futuro”, diz Sal Galatioto, presidente do banco de esportes que leva seu nome.

Na temporada passada, as franquias da NFL registraram US$ 477 milhões de receita, em média, e geraram US$ 109 milhões de receita operacional por equipe, derrotando a NBA (US$ 70 milhões), MLB (US$ 50 milhões) e NHL (US$ 25 milhões).

Isso ajudou a liga a começar esta temporada com dívidas escassas em relação aos valores das equipes, apesar dos cerca de US$ 10 bilhões de crédito que podem ser disponibilizados para as equipes a taxas mais baratas do que elas poderiam tomar emprestado individualmente, porque a dívida é garantida pela mídia de longo prazo da liga. Os proprietários de equipes da NFL podem acumular até US$ 500 milhões em dívidas em suas equipes e outros US$ 150 milhões em dívidas em uma entidade de propósito especial.

E, embora a pandemia provavelmente reduza a receita média do time em cerca de um terço e deixe a NFL enfrentando um ano sem lucros, a crise terá vida curta. A liga provavelmente assinará em breve novos acordos nacionais de direitos de mídia que começarão em 2023 e deverão atingir uma média de cerca de US$ 15 bilhões por ano, o dobro do valor de seus acordos de mídia atuais.

Otimista? Na verdade, não: a NFL representou 41 dos 50 programas mais assistidos na TV em 2019, e o novo acordo coletivo de trabalho acrescentou mais dois jogos de playoff no início desta temporada. Grande parte da receita será um benefício para a lucratividade porque o teto salarial da liga limita a quantia que as equipes podem gastar com os jogadores a um pouco menos de 50% da receita, colocando a liga de volta no caminho certo para retomar uma corrida que viu a receita operacional aumentar 350% na última década.

Leia também: Forbes 400: os bilionários dos EUA que mais perderam dinheiro no último ano

“A NFL tem uma longa história de apoio de fãs e patrocinadores, baixa alavancagem e fortes taxas de serviço da dívida em relação a seus pares”, disse Chad Lewis, diretor sênior da Fitch Ratings.

O cenário permite que os proprietários obtenham os lucros de suas equipes em vez de investir mais para manter o valor, o equivalente a uma valorização saudável e também a um dividendo anual. A maioria recebe distribuições com base em uma parte da receita antes de impostos da entidade, pelo menos o suficiente para cobrir quaisquer obrigações fiscais em que incorrer, de acordo com Robert Willens, uma das principais autoridades fiscais do país. Willens estima que os proprietários extraiam quase metade da receita antes dos impostos da entidade, em média, depois de contabilizar as alíquotas de impostos federais e estaduais que podem se aproximar de 50%. O proprietário médio provavelmente embolsou pelo menos US$ 30 milhões no ano passado pelas contas da Forbes, depois de contabilizar outras despesas como depreciação e amortização.

E também: Roger Federer fatura US$ 106 milhões e é o atleta mais bem pago do mundo em 2020

Os valores são diferenciados no nível do estádio, onde Jerry Jones e os Cowboys estabeleceram a imagem do sucesso. O Dallas Cowboys gera quase US$ 360 milhões anualmente com aluguel de suítes de luxo e patrocínios, mais do que o dobro do time nº 2, o Patriots, que lidera a liga em receita de ingressos para jogos em casa e assentos em clubes, com pouco mais de US$ 80 milhões. O Cincinnati Bengals, a franquia mais barata do grupo, com US$ 2 bilhões, arrecadou menos de US$ 25 milhões com a venda de ingressos e assentos.

Veja na galeria a seguir os 20 times mais bem avaliados da NFL:

  • Tom Pennington/Getty Images

    1. Dallas Cowboys
    Valor: US$ 5,7 bilhões
    Valorização de 2019 para 2020: 4%
    Proprietário: Jerry Jones
    Receita operacional: US$ 425 milhões

  • Billie Weiss/Getty Images

    2. New England Patriots
    Valor: US$ 4,4 bilhões
    Valorização de 2019 para 2020: 7%
    Proprietário: Robert Kraft
    Receita operacional: US$ 250 milhões

  • Tim Warner /Getty Images

    3. New York Giants
    Valor: US$ 4,3 bilhões
    Valorização de 2019 para 2020: 10%
    Proprietários: John Mara, Steven Tisch
    Receita operacional: US$ 168 milhões

  • Harry How/Getty Images

    4. Los Angeles Rams
    Valor: US$ 4 bilhões
    Valorização de 2019 para 2020: 5%
    Proprietário: Stanley Kroenke
    Receita operacional: US$ 78 milhões

  • Thearon W. Henderson/Getty Images

    5. San Francisco 49ers
    Valor: US$ 3,8 bilhões
    Valorização de 2019 para 2020: 9%
    Proprietários: Denise DeBartolo York, John York
    Receita operacional: US$ 121 milhões

  • Al Bello/Getty Images

    6. New York Jets
    Valor: US$ 3,55 bilhões
    Valorização de 2019 para 2020: 11%
    Proprietário: Família Johnson
    Receita operacional: US$ 109 milhões

  • Stephen Maturen/Getty Images

    7. Chicago Bears
    Valor: US$ 3,525 bilhões
    Valorização de 2019 para 2020: 2%
    Proprietário: Família McCaskey
    Receita operacional: US$ 136 milhões

  • Jacob Kupferman/Getty Images

    8. Washington Football Team
    Valor: US$ 3,5 bilhões
    Valorização de 2019 para 2020: 3%
    Proprietário: Daniel Snyder
    Receita operacional: US$ 135 milhões

  • Sean M. Haffey/Getty Images

    9. Philadelphia Eagles
    Valor: US$ 3,4 bilhões
    Valorização de 2019 para 2020: 11%
    Proprietário: Jeffrey Lurie
    Receita operacional: US$ 120 milhões

  • Jonathan Bachman/Getty Images

    10. Houston Texans
    Valor: US$ 3,3 bilhões
    Valorização de 2019 para 2020: 6%
    Proprietária: Janice McNair
    Receita operacional: US$ 165 milhões

  • Dustin Bradford/Getty Images

    11. Denver Broncos
    Valor: US$ 3,2 bilhões
    Valorização de 2019 para 2020: 7%
    Proprietário: Pat Bowlen Trust
    Receita operacional: US$ 114 milhões

  • Ezra Shaw/Getty Images

    12. Las Vegas Raiders
    Valor: US$ 3,1 bilhões
    Valorização de 2019 para 2020: 7%
    Proprietário: Mark Davis
    Receita operacional: US$ 33 milhões

  • Kevin C. Cox/Getty Images

    13. Seattle Seahawks
    Valor: US$ 3,075 bilhões
    Valorização de 2019 para 2020: 11%
    Proprietário: Paul G. Allen Trust
    Receita operacional: US$ 112 milhões

  • Dylan Buell/Getty Images

    14. Green Bay Packers
    Valor: US$ 3,05 bilhões
    Valorização de 2019 para 2020: 7%
    Proprietário: propriedade compartilhada
    Receita operacional: US$ 88 milhões

  • Justin K. Aller/Getty Images

    15. Pittsburgh Steelers
    Valor: US$ 3 bilhões
    Valorização de 2019 para 2020: 7%
    Proprietários: Daniel Rooney Trust, Arthur Rooney II
    Receita operacional: US$ 86 milhões

  • Will Newton/Getty Images

    16. Baltimore Ravens
    Valor: US$ 2,975 bilhões
    Valorização de 2019 para 2020: 8%
    Proprietário: Stephen Bisciotti
    Receita operacional: US$ 108 milhões

  • Hannah Foslien/Getty Images

    17. Minnesota Vikings
    Valor: US$ 2,95 bilhões
    Valorização de 2019 para 2020: 9%
    Proprietário: Zygmunt Wilf
    Receita operacional: US$ 84 milhões

  • Mike Ehrmann/Getty Images

    18. Miami Dolphins
    Valor: US$ 2,9 bilhões
    Valorização de 2019 para 2020: 5%
    Proprietário: Stephen Ross
    Receita operacional: US$ 92 milhões

  • Todd Kirkland/Getty Images

    19. Atlanta Falcons
    Valor: US$ 2,875 bilhões
    Valorização de 2019 para 2020: 4%
    Proprietário: Arthur Blank
    Receita operacional: US$ 38 milhões

  • Bobby Ellis /Getty Images

    20. Indianapolis Colts
    Valor: US$ 2,85 bilhões
    Valorização de 2019 para 2020: 8%
    Proprietário: James Irsay
    Receita operacional: US$ 67 milhões

Tom Pennington/Getty Images

1. Dallas Cowboys
Valor: US$ 5,7 bilhões
Valorização de 2019 para 2020: 4%
Proprietário: Jerry Jones
Receita operacional: US$ 425 milhões

Siga FORBES Brasil nas redes sociais:

Facebook
Twitter
Instagram
YouTube
LinkedIn

Participe do canal Forbes Saúde Mental, no Telegram, e tire suas dúvidas.

Baixe o app da Forbes Brasil na Play Store e na App Store.

Tenha também a Forbes no Google Notícias.

Compartilhe esta publicação: