4 dicas para uma parceria comercial de sucesso

Getty Images
Sem Paul McCartney, John Lennon poderia ter sido um sujeito amargurado, que usava drogas e confundia a língua inglesa.

Resumo:

Muitos homens de sucesso poderiam não ter sido nada sozinhos;

O casamento, a maior parceria de todas, representa os critérios de cooperação e colaboração muito bem;

Contratos são sempre bem-vindos, mas não é preciso que sejam burocráticos ou de difícil entendimento;

A chave para uma parceria forte é a comunicação aberta, honesta e frequente;

Processos simples e criativos costumam ser mais eficazes.

Lennon e McCartney. Jobs e Wozniak. Lewis e Clark. As três, e muitas outras grandes parcerias, são o exemplo do poder de juntar duas ou mais mentes brilhantes em uma ideia. Sem Steve Wozniak para criar algo surpreendente na área de vendas, Steve Jobs poderia ter sido apenas mais um sonhador. Sem Paul McCartney, John Lennon poderia ter sido um sujeito amargurado, que usava drogas e confundia a língua inglesa. Eles tinham seus pontos fortes por conta própria, mas quando juntos, eram mágicos.

LEIA MAIS: Adidas fecha parceria com cantora Beyoncé

Uma parceria pode trazer grandes vantagens. Não há nada como ter alguém para rir das suas piadas, validar suas ideias e avisar quando você estiver fora de ritmo. Indiscutivelmente, a instituição mais importante na sociedade, o casamento, é também uma parceria. A vida sem colaboração poderia não ser tão plena ou imaginativa. Mas, é claro, existem parcerias certas e parcerias erradas.

Ao longo dos anos, fiz muitas parcerias com outros escritores e empresários. Algumas foram bem-sucedidas, indo além dos meus sonhos mais loucos. Outras terminaram em brigas ou fracasso.

Veja, na galeria abaixo, 4 lições importantes que aprendi e que podem ajudá-lo a ser um parceiro melhor:

  • Crie um contrato para garantir a parceria

    Não pense em embarcar em uma jornada com outra pessoa sem antes expor suas expectativas por meio de um acordo. Você pode começar com modelo obtido online, mas certifique-se de revisá-lo, fazendo com que ele contenha os seus termos. Quais são as expectativas? Implicações financeiras? E se um dos parceiros discordar de uma decisão? Quem decide em qual parte da parceria trabalha e que tipo de recursos são dedicados a ela? O que acontece se um dos parceiros quiser sair e montar algo semelhante por conta própria? Quem possui o quê? Como a parceria termina? Você não pode deixar que o medo o impeça de progredir, mas, assim como cair antes de aprender a esquiar, o planejamento para lidar com desafios previsíveis e inesperados é o segredo para formar uma parceria boa e duradoura.

  • Elabore uma estrutura de comunicação

    Agende check-ins diários, reuniões de vendas e marketing semanais, revisões trimestrais e um encontro anual. A chave para uma parceria forte é a comunicação aberta, honesta e frequente. Se você e seu parceiro não forem muito falantes, crie uma estrutura formal para ter certeza de apresentar problemas não resolvidos. Force você mesmo e sua organização a discutir desafios e oportunidades com regularidade.

  • Use a imaginação

    Eu sou fã dos Beatles, não apenas da música deles, mas também da estrutura única que eles criaram e que permitiu que a marca se sustentasse mesmo depois de 60 anos. Um dos elementos-chave do acordo permitiu que cada integrante da banda criasse álbuns solo ao mesmo tempo em que produzia o trabalho do grupo. Na verdade, o grupo dividiu os lucros desses álbuns solo nos primeiros anos após os Beatles terem se dissolvido, como uma empresa. E, depois do fim, a Apple Corps Ltd. continuou a desenvolver projetos da banda que iam bem além do próprio grupo. Houve alguma desordem e também problemas, mas o trabalho viveu e floresceu por conta de uma série de acordos de parceria atualizados. Houve uma falha notável – McCartney teve que entrar com um processo para dissolver o acordo de 1967, quando o grupo se separou. Isso serve como um bom lembrete para planejar o rompimento de negócios.

  • Faça tudo do jeito mais simples

    Evite a tendência de pensar que uma parceria formal requer advogados, contadores, empregados e despesas absurdas. No geral, uma parceria é um acordo entre pessoas com o mesmo objetivo. Você pode criar o acordo em um guardanapo, se você não se importar com as manchas de café. Todas as outras coisas necessárias para desenvolver o negócio e a organização resultantes podem se desenvolver em seu devido tempo. Não se apresse. Concentre-se no que você está criando e deixe que o entusiasmo o guie até a próxima etapa.

    Uma parceria pode ser simples ou complicada, fácil ou tensa, duradoura ou breve. Não deixe que as complexidades presumidas o impeçam de se unir à pessoa certa, ou até mesmo a um grupo de pessoas, para ajudá-lo a atingir o sucesso.

Crie um contrato para garantir a parceria

Não pense em embarcar em uma jornada com outra pessoa sem antes expor suas expectativas por meio de um acordo. Você pode começar com modelo obtido online, mas certifique-se de revisá-lo, fazendo com que ele contenha os seus termos. Quais são as expectativas? Implicações financeiras? E se um dos parceiros discordar de uma decisão? Quem decide em qual parte da parceria trabalha e que tipo de recursos são dedicados a ela? O que acontece se um dos parceiros quiser sair e montar algo semelhante por conta própria? Quem possui o quê? Como a parceria termina? Você não pode deixar que o medo o impeça de progredir, mas, assim como cair antes de aprender a esquiar, o planejamento para lidar com desafios previsíveis e inesperados é o segredo para formar uma parceria boa e duradoura.

Siga FORBES Brasil nas redes sociais:

Forbes no Facebook: http://fb.com/forbesbrasil
Forbes no Twitter: http://twitter.com/forbesbr
Forbes no Instagram: http://instagram.com/forbesbr

Copyright Forbes Brasil. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução, total ou parcial, do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, impresso ou digital, sem prévia autorização, por escrito, da Forbes Brasil ([email protected]).