Petrobras tem aval para vender campo para a Potiguar E&P

Cade aprovou sem restrição a negociação do Polo Riacho da Forquilha.

Redação, com Reuters
Compartilhe esta publicação:
GettyImages
GettyImages

Segundo o Cade, a operação faz parte do plano de expansão da Potiguar, controlada pelo Grupo PetroRecôncavo

Acessibilidade


A estatal Petrobras teve aval sem restrições do órgão brasileiro de defesa da concorrência para a venda a Potiguar E&P do Campo do Polo Riacho da Forquilha, na bacia terrestre de Potiguar, a cerca de 300 quilômetros de Natal, capital do Rio Grande do Norte.

VEJA TAMBÉM: Pré-sal: Petrobras tem interesse em 2 áreas em leilão

Segundo o Conselho Administrativo de Defesa Econômica (Cade), que publicou parecer no Diário Oficial da União de hoje (31), a operação faz parte do plano de expansão da Potiguar, controlada pelo Grupo PetroRecôncavo, e está alinhada ao plano de desinvestimentos da Petrobras.

A PetroRecôncavo tem como acionistas controladores Grupo Opportunity Holding FIP, Perbrás e PetroSantander Inc.

A companhia atua nos mercados de exploração e produção de petróleo e gás onshore, especializada no desenvolvimento e revitalização de campos maduros e marginais em bacias onshore, segundo o parecer do Cade, com participação em 17 campos na bacia do Recôncavo, na Bahia.

Inscreva-se para receber a nossa newsletter
Ao fornecer seu e-mail, você concorda com a Política de Privacidade da Forbes Brasil.

O Cade avaliou ainda que a transação não prejudica a concorrência, afirmando que ela inclusive “pode ser vista como uma desconcentração de mercado, na medida em que a Petrobras possui posição dominante tanto no ramo de petróleo quanto no de gás no Brasil.”

E AINDA: Petrobras recebe ofertas pela Liquigás até 7 de junho

A Reuters publicou em maio sobre as negociações entre Petrobras e PetroRecôncavo pelo conjunto de 34 campos.

Ainda no ano passado, em novembro, a Petrobras havia chegado a anunciar a venda do Polo Riacho da Forquilha à 3R Petroleum, por US$ 453 milhões, mas o grupo não obteve financiamento para concluir a aquisição, segundo as fontes.

Siga FORBES Brasil nas redes sociais:

Facebook
Twitter
Instagram
YouTube

Compartilhe esta publicação: