Alibaba permitirá que empresas dos EUA vendam em seu site

Companhia espera conquistar marcas locais para ser a principal plataforma de mercado.

Redação, com Reuters
Compartilhe esta publicação:
Chesnot/GettyImages
Chesnot/GettyImages

Cerca de um terço dos compradores do Alibaba.com são dos EUA

Acessibilidade


A gigante chinesa de comércio eletrônico Alibaba, permitirá que pequenas empresas nos Estados Unidos vendam no Alibaba.com, anunciou hoje (23), em uma iniciativa para explorar o mercado de comércio eletrônico entre empresas e se defender da concorrência acirrada de rivais como a Amazon.

LEIA MAIS: Alibaba remodela gestão e CFO assume investimentos

Cerca de um terço dos compradores do Alibaba.com são dos EUA. Mais de 95% dos vendedores vêm da China. Esse plano abrirá mercados de países como Índia, Brasil e Canadá para os comerciantes dos EUA. Eles também poderão vender para outras empresas sediadas nos EUA.

A proposta da Alibaba para as pequenas empresas dos Estados Unidos ocorre no momento em que a empresa enfrenta um enxuto crescimento de receita de comércio eletrônico, que foi ainda mais ameaçado pela disputa comercial EUA-China e a maior concorrência de rivais como a recentemente listada Pinduoduo.

A Alibaba, que não vende seus próprios estoques, espera conquistar empresas locais dos EUA para ser sua principal plataforma de mercado, oferecendo às pequenas e médias empresas poder de venda global. A Alibaba destacou seu interesse em conquistar fabricantes, atacadistas e distribuidores.

Inscreva-se para receber a nossa newsletter
Ao fornecer seu e-mail, você concorda com a Política de Privacidade da Forbes Brasil.

A rival Amazon, além de vender seu próprio inventário, permite que fornecedores independentes listem produtos para venda em seu site. Esses fornecedores podem armazenar seus produtos nos depósitos da Amazon ou enviá-los diretamente aos clientes.

A Alibaba disse que os vendedores dos EUA terão que pagar uma taxa de adesão de aproximadamente US$ 2 mil para colocar suas lojas online no Alibaba.com em funcionamento, além de quaisquer custos de marketing e publicidade. A Amazon cobra vendedores independentes por mês ou por item.

Siga FORBES Brasil nas redes sociais:

Facebook

Twitter

Instagram

YouTube

Baixe o app de Forbes Brasil na Play Store e na App Store

Compartilhe esta publicação: