Por que mulheres não precisam agir como homens para crescer nos negócios

Getty Images
Veja estratégias para empresárias que querem melhorar seus empreendimentos

Resumo:

  • O número de empresas lideradas por mulheres cresce mais rápido que a média geral norte-americana e gerou US$ 1,8 trilhão em receita anual;
  • Buscar ajuda e incentivar outros empreendimentos femininos reforça uma rede, sem a necessidade de recorrer aos “clube do bolinha”;
  • Acesso ao capital inicial é apenas uma das barreiras de entrada para que mulheres comecem a empreender.

As mulheres estão empreendendo mais do que nunca. Entre 2007 e 2018, o número de empresas de mulheres cresceu 58%, quase cinco vezes mais rápido que a média nos EUA. No entanto, não faltam desafios. Vale ressaltar que apenas 2,2% de todo o capital de risco nos EUA é destinado a empresas fundadas exclusivamente por mulheres.

LEIA MAIS: Mulheres: tornem sua presença reconhecida (e valorizada!)

Embora não seja surpresa que o acesso ao financiamento seja uma barreira em potencial, também existem outros obstáculos. Em um estudo recentemente divulgado pelo Bank of America e pela Babson College, 30 fundadoras (que atingiram uma média de US$ 43 milhões em receita) foram entrevistadas sobre seus desafios e estratégias de crescimento. A pesquisa revelou que, embora existam obstáculos além do acesso ao capital, as fundadoras ainda são capazes de usar coragem, liderança e resiliência para alcançar um crescimento lucrativo.

Hoje, as empresárias possuem cerca de 12,3 milhões de empresas que empregam 9,2 milhões de pessoas e geram mais de US$ 1,8 trilhão em receita anual. As mulheres não precisam “sair com os meninos” para se tornarem grandes no mundo dos negócios. Se a pesquisa nos diz alguma coisa, é que as mulheres encontraram uma maneira de criar negócios grandes e sustentáveis, apesar das barreiras baseadas em gênero. Quando você bater em uma parede, encontre uma maneira de passar por cima dela, por baixo dela, contorná-la ou fazer um buraco nela para chegar ao outro lado. A única coisa que você não pode fazer é desistir.

Barreiras potenciais para mulheres empresárias

No novo relatório “Beyond the Bucks: Estratégias de Crescimento de Mulheres Empresárias de Sucesso”, três temas principais surgiram em torno dos desafios que as mulheres enfrentam ao expandir seus negócios:

1. Percepções erradas de mercado
Muitas vezes, os motivos das mulheres para iniciar um negócio são mal compreendidos. Potenciais investidores podem assumir que elas abrem empresas como projetos paralelos divertidos ou apenas para complementar a renda familiar, em vez de criarem negócios viáveis ​​e lucrativos. As mulheres são vistas como criadoras de projetos de paixão ou negócios de estilo de vida, não de riqueza. Às vezes, a competência de uma mulher para administrar um negócio pode até ser questionada.

2. Exclusão do networking
As mulheres geralmente são excluídas do tradicional “clube do bolinha” e, se conseguem entrar, geralmente são uma minoria. Muitas vezes, escolhem não ir a eventos após o trabalho, porque preferem ir para casa, checar os e-mails e passar tempo com seus filhos.

3. Gerenciamento de expansão
Como mencionado anteriormente, o financiamento é uma questão crucial para as mulheres no começo. Apesar desses desafios, as empresárias conseguem crescer seus negócios. As mulheres são muito mais propensas a buscar o crescimento orgânico. Muitas das empresárias entrevistadas também reconheceram que investir na contratação e retenção de funcionários era fundamental para o sucesso a longo prazo.

VEJA TAMBÉM: 4 dicas poderosas de comunicação para mulheres empreendedoras

Estratégias eficazes para empreendedoras

“Por meio desta pesquisa, identificamos várias estratégias ​​que mulheres empresárias estão usando para transformar os desafios que enfrentam em oportunidades e expandir seus negócios”, disse Lakshmi Balachandra, Ph.D., professora assistente de empreendedorismo da Babson College e a principal pesquisadora do projeto.

Veja na galeria a seguir quais são essas estratégias:

  • Explore várias alternativas de capital
    Embora o capital de risco receba muita atenção da mídia, existem outras fontes de disponíveis para subsidiar o crescimento dos negócios, incluindo amigos e familiares, linhas de crédito e financiamento coletivo.

  • Oriente-se para o longo prazo
    Criar um negócio é uma maratona, não um sprint. Concentre-se em se organizar de maneira mais orgânica e sustentável.

  • Desenvolva força de trabalho sustentável e talentosa
    Invista nas pessoas e na cultura da empresa. No longo prazo, isso pode resultar em uma força de trabalho competente que gerará múltiplos retornos.

  • Negocie com outras mulheres
    Ajude as colegas empresárias a crescerem mais rapidamente negociando com elas. Ao avaliar novas oportunidades de investimento, considere apoiar empresas lideradas por mulheres.

  • Seja e procure uma mentora
    Oriente uma empresária iniciante, tomando um café com ela e oferecendo conselhos. Mostre casos de empreendedoras bem-sucedidas, apresentando-as como oradoras e painelistas em conferências e eventos.

  • Ingresse ou crie novas redes
    Participe de uma organização de mulheres com ideias semelhantes às suas. Outra opção é criar uma rede completamente nova para trocar informações.

  • Capitalize ideias e experiências pessoais
    Aproveite suas próprias experiências. Mulheres têm poder de compra significativo e compreendem as necessidades e tendências emergentes para as consumidoras. Crie fortes parcerias com outras mulheres empreendedoras com negócios similares para ter mais oportunidades de mercado.

Explore várias alternativas de capital
Embora o capital de risco receba muita atenção da mídia, existem outras fontes de disponíveis para subsidiar o crescimento dos negócios, incluindo amigos e familiares, linhas de crédito e financiamento coletivo.

Siga FORBES Brasil nas redes sociais:

Facebook
Twitter
Instagram
YouTube
LinkedIn

Tenha também a Forbes no Google Notícias.

Copyright Forbes Brasil. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução, total ou parcial, do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, impresso ou digital, sem prévia autorização, por escrito, da Forbes Brasil ([email protected]).