Marca de lingerie de Rihanna contribui para derrocada da Victoria’s Secret

Reproduão/Forbes

Rihanna no lançamento de sua marca global de lingerie Savage X Fenty no em 10 de maio de 2018 na cidade de Nova York

A Savage X Fenty, da cantora Rihanna, vem ganhando participação de mercado sobre a Victoria’s Secret, que teve uma parcela de controle vendida por sua controladora L Brands a uma organização de private equity com avaliação de US$ 1,1 bilhão, de modo a se tornar privada. Em contrapartida a crise da companhia com a queda nas vendas, a marca de lingerie da cantora tem disparado rapidamente em uma era de diversidade a qual marcou uma mudança significativa no setor, visto que a empresa está prestes a se tornar líder no mercado global de lingerie, que deverá atingir US$ 325 bilhões em 2025.

O colapso

O empreendimento de Rihanna fica bem no centro dos negócios e da cultura no setor de roupas íntimas femininas de US$ 13,1 bilhões dos Estados Unidos, o que deixa a Victoria’s Secret pressionada para replicar esse modelo, segundo a CultureBanx. No ano passado, o clássico desfile de lingerie da Victoria’s Secrets foi cancelado, com a bem-sucedida marca de Rihanna certamente tendo ajudado a dar o golpe final. Agora, a empresa está sendo vendida para uma companhia de private equity.

VEJA MAIS: Como Rihanna se tornou dona de uma fortuna de US$ 600 milhões

A marca chegou a um acordo de US$ 525 milhões a fim de vender 55% para a Sycamore Partners. A L Brands permanecerá em posse dos 45% restantes, que incluem a cadeia do renomado logo Pink, com o objetivo de acalmar os medos dos investidores uma vez que as ações da holding caíram 50% nos últimos dois anos.

A magnata dos negócios lançou sua linha de lingerie Savage X Fenty em 2018 após a estreia bem-sucedida de sua coleção de maquiagem Fenty Beauty no ano anterior. Ela encontrou claramente a receita do sucesso, já que a Fenty Beauty faturou cerca de US$ 570 milhões em 2018 e está avaliada em mais de US$ 3 bilhões.

O que vem a seguir

A diversidade e a inclusão no universo das lingeries continuarão com grande importância, pois as mulheres exigem uma reavaliação das imagens tradicionalmente sexualizadas na indústria. Resistir á total aquisição do mercado de lingerie por Rih Rih já provou ser extremamente difícil para a lendária marca de sutiãs push-up. No entanto, a esperança não está completamente perdida para a Victoria’s Secret, uma vez que ainda é a maior empresa de lingerie nos Estados Unidos. A organização detém uma participação de mercado de 24%, embora tenha caído de cerca de 32% em 2013, segundo a Coresight Research. A L Brands, por sua vez, tem cerca de US$ 5,5 bilhões em dívida, mas os US$ 525 milhões da venda da Victoria’s Secret derrubarão esse número.

Siga FORBES Brasil nas redes sociais:

Facebook
Twitter
Instagram
YouTube
LinkedIn

Baixe o app da Forbes Brasil na Play Store e na App Store.

Tenha também a Forbes no Google Notícias.

Copyright Forbes Brasil. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução, total ou parcial, do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, impresso ou digital, sem prévia autorização, por escrito, da Forbes Brasil ([email protected]).